AUTONOMIA EM TEMPOS DE CAPITALISMO FLEXÍVEL: UMA ABORDAGEM A PARTIR DE PAULO FREIRE

Autores

  • Anderson José Lisboa Baptista Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v42i1.44060

Palavras-chave:

Autonomia. Autoria. Corrosão do Caráter. Inacabamento.

Resumo

O artigo reflete  sobre a categoria Autonomia em Paulo Freire, sua relevância e aplicabilidade no atual estágio da sociedade capitalista. É uma abordagem teórica que no primeiro momento discute o conceito de “corrosão do caráter” (Sennet, 2014), no contexto do capitalismo flexível. Em seguida apresenta a concepção de “autonomia” em Freire (2008, 2014a e 2014b) fundamentada em outros postulados de sua teoria. No final são apontados contrapontos entre a lógica da sociedade do capitalismo flexível, da corrosão do caráter e a concepção freireana de autonomia. Entre os resultados destaca-se a autonomia em Freire como uma proposta humanizante, que resgata o sentido de autoria e se contrapõe ao processo desumano que rege a sociedade capitalista atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson José Lisboa Baptista, Universidade Federal Fluminense

Graduado em História pela UNESA, Especialista em Educação de Jovens e Adultos também pela UNESA. Mestre e Doutorando em Educação pela UFF.

Downloads

Publicado

2017-06-09

Como Citar

JOSÉ LISBOA BAPTISTA, A. AUTONOMIA EM TEMPOS DE CAPITALISMO FLEXÍVEL: UMA ABORDAGEM A PARTIR DE PAULO FREIRE. Revista Inter-Ação, Goiânia, v. 42, n. 1, p. 122–139, 2017. DOI: 10.5216/ia.v42i1.44060. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/44060. Acesso em: 17 abr. 2024.