Fenologia reprodutiva e biometria de frutos e sementes de três espécies de Byrsonima Rich. ex Kunth (Malpighiaceae) no Parque do Bacaba, Nova Xavantina - Mato Grosso

Autores

  • Divino Vicente Silvério
  • Clarissa Fernandes-Bulhão

DOI:

https://doi.org/10.5216/rbn.v6i1.12629

Palavras-chave:

Byrsonima, biometria, frutos

Resumo

Este trabalho teve como objetivo estudar a fenologia reprodutiva e a biometria de frutos e sementes de Byrsonima verbascifoliaB. crassa e B. orbignyana, espécies ocorrentes no Parque do Bacaba, em Nova Xavantina, Mato Grosso, visando auxiliar no planejamento de extração e comercialização dos frutos. As observações fenológicas foram realizadas entre maio de 2006 e abril de 2007. Foram avaliadas as características biométricas de 200 frutos de cada espécie. A floração ocorre durante a estação seca e no início das chuvas. A frutificação está associada aos períodos de maior precipitação na região e a dispersão durou aproximadamente três meses para cada espécie. Os pesos médios dos frutos de B. crassa, B. orbignyana e B. verbascifolia foram, respectivamente: 0,30±0,05 g, 2,41±0,51 g e 3,81±1,99 g. A polpa contribuiu com 67,79%, 84,38% e 88,11% do peso total do fruto de B. crassaB. orbignyana e B. verbascifolia, respectivamente. As espécies apresentaram tendência para frutos achatados e endocarpos compridos. B. verbascifolia e B. orbignyana se mostraram mais adequadas para comercialização por apresentar os maiores frutos e o maior rendimento de polpa. Entretanto, deve haver manejo racional e sustentável das áreas exploradas para que a coleta dos frutos não cause erosão genética das espécies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Almeida, S. P., C. E. B. Proença, S. M Sano & J. F. Ribeiro. 1998. Cerrados: espécies vegetais úteis. EMBRAPA-CPAC, Planaltina, 464 p.

Almeida, S. P., T. S. A. Costa & J. A. Silva. 2008. Frutas nativas do Cerrado: caracterização físico-química e fonte potencial de nutrientes, p. 351-381. In: S. M. Sano, S. P. Almeida & J. F. Ribeiro, (Eds), Cerrado: ecologia e flora. Brasília, DF, Embrapa Informação Tecnológica.

Anderson, W. R. 1979. Floral conservation in neotropical Malpighiaceae. Biotropica 11: 219-223.

Antunes, N. B. & J. F. Ribeiro. 1999. Aspectos fenológicos de seis espécies vegetais em Matas de Galeria do Distrito Federal. Pesq. Agropec. Bras. 34: 1517-1527.

Ayres, M., D. L. Ayres & A. A. S. Santos. 2003. BioEstat 3.0: aplicações estatísticas nas áreas das ciências biológicas e médicas. Sociedade Civil Mamirauá, Belém.

Barros, M. A. G. 1998. Sistemas reprodutivos e polinização em espécies de Erythroxylum P. Br. (Erythroxylaceae). Rev. Bras. Bot. 22: 159-166.

Barros, M. A. G. 2002. Floração sincrônica e sistemas reprodutivos em quatro espécies de Kielmeyera Mart. (Guttiferae). Acta Bot. Bras. 16: 113-122.

Batalha, M. A. & W. Mantovani. 2000. Reproductive phenology patterns of cerrado plant species at the Pé-de-Gigante Reserve (Santa Rita do Passa Quatro, SP, Brazil): a comparison between the herbaceous and woody flora. Rev. Bras. Biol. 60: 129-145.

Bencke, C. S. C. & P. C. Morellato. 2002. Comparação de dois métodos de avaliação da fenologia de plantas, sua interpretação e representação. Rev. Bras. Bot. 25: 269-275.

Botezelli, L., A. C. Davide & M. M. Malavasi. 2000. Características dos frutos e sementes de quatro procedências de Dipteryx alata Vogel (Baru). Cerne 6: 9-18.

Brasil. Ministério da Saúde. 2002. Alimentos regionais brasileiros. Brasília, DF.

Cardoso, C. R. P. 2006. Atividade mutagênica e ativadora da resposta imune celular induzidas por Byrsonima crassa Niedenzu e Byrsonima intermedia A. Juss (Malpighiaceae). Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

Cavalcante, T. R. M. & R. V. Naves, E. V. Franceschinelli, R. P. Silva. 2009. Polinização e formação de frutos em araticum. Bragantia 68: 13-21.

Costa, C. B. N., J. A. S. Costa & M. Ramalho. 2006. Biologia reprodutiva de espécies simpátricas de Malpighiaceae em dunas costeiras da Bahia, Brasil. Rev. Bras. Bot. 29: 103-114.

Cruz, E. D., F. O. Martins & J. E. U. Carvalho. 2001. Biometria de frutos e germinação de sementes de jatobá-curuba (Hymenaea intermedia Ducke, Leguminosae - Mimosoideae). Rev. Bras. Bot. 24: 161-165.

Cruz, E. D. & J. E. U. Carvalho. 2002. Biometria de frutos e germinação de sementes de Couratari stellata A.C. Smith (Lecythidaceae). Acta Amazon. 33: 381-388.

Dalponte, J. C. & E. S. Lima. 1999. Disponibilidade de frutos e a dieta de Lycalopex vetulus (Carnivora - Canidae) em um cerrado de Mato Grosso, Brasil. Rev. Bras. Bot. 22: 325-332.

Falcão, M. A. & C. R. Clement. 2000. Fenologia e produtividade do ingá-cipó (Inga edulis) na Amazônia Central. Acta Amazon. 30: 173-180.

Farias Neto, J. T., J. U. Carvalho. & C. H. Muller. 2004. Estimativas de correlação e repetibilidade para caracteres do fruto de bacurizeiro. Ciên. Agrot. 28: 302-307.

Felfili, J. M., M. C. Silva Junior, B. J. Dias & A. V. Rezende. 1999. Estudo fenológico de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville no cerrado sensu stricto da Fazenda Água Limpa, no Distrito Federal, Brasil. Rev. Bras. Bot. 22: 83-90.

Felfili, J. M., P. E. Nogueira, M. C. Silva Júnior, B. S. Marimon & W. B. C. Delitti. 2002. Composição florística e fitossociologia do cerrado sentido restrito no município de Água Boa, MT. Acta Bot. Bras. 16: 103-112.

Fernandes-Bulhão, C. & P. S. Figueiredo. 2002. Fenologia de leguminosas arbóreas em uma área de cerrado marginal no nordeste do Maranhão. Rev. Bras. Bot. 25: 361-369.

Figueiredo, M. E., D. C. Michelin, M. Sannomiya, M. A. Silva, L. C. Santos, L. F. R. Almeida, A. R. M. Souza Brito, H. R. N. Salgado & W. Vilegas. 2005. Avaliação química e da atividade antidiarréica das folhas de Byrsonima cinera DC. (Malpighiaceae). Rev. Bras. Ciênc. Farm. 41: 79-83.

Fournier, L. A. 1974. Un método cuantitativo para la medición de características fenológicas en árboles. Turrialba 24: 422-423.

Frankie, G. W, H. G. Baker & P. A. Opler. 1974. Comparative phenological studies of trees in tropical wet and dry forests in the lowlands of Costa Rica. J. Ecol. 62: 881-913.

Gil, E. S., S. H. P. Serrano, S. H. P. Soares & K. R. Rezende. 2005. Atividade antioxidante de extrato etanólico e hidroalcoólico de “canjiqueira” (Byrsonima orbignyana). Doseamento de rutina, quercetina, ácido elágico e ácido ascórbico. Rev. Eletr. Farm. 2: 85-88.

Gouveia, G. P. & J. M. Felfili. 1998. Fenologia de comunidades de Cerrado e de Mata de Galeria no Brasil Central. Rev. Árvore 22: 443-450.

Guimarães, M. M. & M. S. Silva. 2008. Valor nutricional e características químicas e físicas dos frutos de murici-passa (Byrsonima verbascifolia). Ciên. Tecnol. Alim. 28: 817-821

Gusmão, E., F. A. Vieira & E. M. Fonseca Júnior. 2006. Biometria de frutos e endocarpos de murici (Byrsonima verbascifolia Rich. ex A. Juss.). Cerne 12: 84-91.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2006. Censo agropecuário 1996. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/>.

Joly, A. B. 2002. Botânica: introdução à taxonomia vegetal. 2 ed. Companhia Editora Nacional, São Paulo.

Jordano, P. 1995. Angiosperm fleshy fruits and seed dispersers: a comparative analysis of adaptation and constraints in plant-animal interactions. Am. Nat. 145: 163-191.

Klink, C. A. & R. B Machado. 2005. A Conservação do Cerrado brasileiro. Megadiversidade 1: 147-155.

Lenza, E. & C. A. Klink. 2006. Comportamento fenológico de espécies lenhosas em um cerrado sentido restrito de Brasília, DF. Rev. Bras. Bot. 29: 627-638.

Lieberman, D. 1982. Seasonality and phenology in a dry tropical forest in Ghana. J. Ecol. 70: 791-806.

Lima, E. D. P. A., C. A. A. Lima, M. L. Aldrigue & P. J. S. Gondim. 2002. Caracterização física e química dos frutos da umbu-cajazeira (Spondias spp) em cinco estádios de maturação, da polpa congelada e néctar. Rev. Bras. Frut. 24: 338-343.

Machado, C. G. & J. Semir. 2006. Fenologia da floração e biologia floral de bromeliáceas ornitófilas de uma área da Mata Atlântica do Sudeste brasileiro. Rev. Bras. Bot. 29: 163-174.

Machado, R. B., M. B. Ramos Neto, P. G. P. Pereira, E. F. Caldas, D. A. Gonçalves, N. S. Santos, K. Tabor & M. Steininger. 2004. Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. Relatório técnico não publicado. Conservação Internacional, Brasília, DF.

Mantovani, W. & F. R. Martins. 1988. Variações fenológicas das espécies do cerrado da Reserva Biológica de Moji-Guaçu, Estado de São Paulo. Rev. Bras. Bot. 11: 101-112.

Marimon, B. S. & E. S. Lima. 2001. Caracterização fitofisionômica e levantamento florístico preliminar no Pantanal dos Rios Mortes - Araguaia, Cocalinho, Mato Grosso, Brasil. Acta Bot. Bras. 15: 213-229.

Marimon Junior, B. H. & M. Haridasan. 2005. Comparação da vegetação arbórea e características edáficas de um cerradão e um cerrado sensu stricto em áreas adjacentes sobre solo distrófico no leste de Mato Grosso, Brasil. Acta Bot. Bras. 19: 913-926.

Martin-Gajardo, I. S. & L. P. C. Morellato. 2003. Fenologia de espécies Rubiaceae do sub-bosque em floresta Atlântica no sudeste do Brasil. Rev. Bras. Bot. 26: 299-309.

Mendanha, D. M., A. P. Kluthcouski, L. P. Felício, W. B. Nunes, & S. Carvalho. 2008. Efeito modulador da planta medicinal Byrsonima verbascifolia, Rich. Ex. Juss (EBv), contra os danos induzidos pela doxorrubicina em células somáticas de Drosophila melanogaster: SMART/asa. In: 1o Congresso de Genética do Centro-Oeste, Brasília, DF. Anais.

Mendes, C. C., F. G. Cruz., J. M. David, I. P. Nascimento & J. P. David. 1999. Triterpenos esterificados com ácidos graxos e ácidos triterpênicos isolados de Byrsonima microphylla. Juss. Quím. Nova 22: 185-188.

Moraes, P. L. R. & M. C. Alves. 1997. Biometria de frutos e sementes de Cryptocarya moschata Nees e Endlicheria paniculata (Sprengel) MacBride (Lauraceae). Bol. Mus. Biol. Mello Leitão (N. Sér.) 6: 23-34.

Moraes, P. L. R. & M. C. Alves. 2002. Biometria de frutos e diásporos de Cryptocarya aschersoniana Mez e Cryptocarya moschata Nees (Lauraceae). Biota Neotropica 2: 1-11.

Morellato, L. P. C. 1995. As estações do ano na floresta. p. 37-41. In: H. F. Leitão Filho & L. P. C. Morellato (Orgs), Ecologia e preservação de uma floresta tropical urbana: Reserva de Santa Genebra. Campinas, UNICAMP.

Morellato, L. P. C., H. F. Leitão Filho, R. R. Rodrigues & C. A. Joly. 1990. Estratégias fenológicas de espécies arbóreas em floresta de altitude na Serra do Japi, Jundiaí, São Paulo. Rev. Bras. Biol. 50: 149-162.

Oliveira, P. E. 2008. Fenologia e biologia reprodutiva das espécies de Cerrado, p.273-290. In: S. M. Sano, S. P. Almeida & J. F. Ribeiro (Eds), Cerrado: ecologia e flora. Brasília, DF, Embrapa Informação Tecnológica.

Oliveira, P. E. A. M. & F. R. Paula. 2001. Fenologia e biologia reprodutiva de plantas de matas de galeria, p. 303-332. In: J. F. Ribeiro, C. E. L. Fonseca & J. C. Sousa-Silva (Eds), Cerrado: caracterização e recuperação de matas de galeria. Planaltina, EMBRAPA-CEPAC.

Oliveira-Filho, A. T. 1984. Estudo fitossociológico de um cerrado da Chapada dos Guimarães, MT: uma análise de gradientes. Dissertação de Mestrado. UNICAMP, Campinas.

Pedron, F. A., J. P. Menezes & N. L. Menezes. 2004. Parâmetros biométricos de fruto, endocarpo e semente de butiazeiro. Ciên. Rural 34: 585-586.

Penhalber, E. F. & W. Mantovani. 1997. Floração e chuva de sementes em mata secundária em São Paulo, SP. Rev. Bras. Bot. 20: 205-220.

Pott, A. & V. J. Pott. 1986. Inventário da flora apícola do pantanal em Mato Grosso do Sul. EMBRAPA-CPAP, Corumbá, 18 p. (Pesquisa em Andamento, 3).

Pott, A., V. J. Pott & A. A. B. Sobrinho. 2004. Plantas úteis à sobrevivência no pantanal. In: 4o Simpósio sobre Recursos Naturais e Sócio-Econômicos do Pantanal, Corumbá, MT. Anais.

Ratter, J. A., S. Bridgewater & J. F. Ribeiro. 2003. Analysis of the floristic composition of the Brazilian cerrado vegetation. III: Comparison of the woody vegetation of 376 areas. Edinb. J. Bot. 60: 57–109.

Rezende, C. M. & S. R. G. Fraga. 2003. Chemical and aroma determination of the pulp and seeds of murici (Byrsonima crassifolia L.). J. Braz. Chem. Soc. 14: 425-428.

Ribeiro, J. F. & B. M. T Walter. 1998. Fitofisionomias do Cerrado, p. 89-125. In: S. M. Sano & S. P. Almeida (Eds), Cerrado: ambiente e flora. Planaltina, EMBRAPA–Cerrados.

Ribeiro, J. F., M. I. Gonçalves, P. E. A. M. Oliveira & J. T. Melo. 1982. Aspectos fenológicos de espécies nativas do Cerrado. In: 32o Congresso Nacional de Botânica, Teresina, PI. Anais. p. 181-198.

Sannomiya, M., D. C. Michelin, C. M. Rodrigues, L. C. Santos, H. R. N. Salgado, C. A. Hiruma-Lima, A. R. S. M. Brito & W. Vilegas. 2005. Byrsonima crassa Niedenzu (IK): antimicrobial activity and chemical study. Rev. Ciênc. Farm. Básica Apl. 26: 71-75.

Santos, D. L. & M. Takaki. 2005. Fenologia de Cedrela fissilis Vell. (Meliaceae) na região rural de Itirapina, SP, Brasil. Acta Bot. Bras. 19: 625-632.

Sarmiento, G. 1984. The ecology of neotropical savannas. Harvard University Press, Cambridge.

Silva, F. A. M., E. D. Assad & B. A. Evangelista. 2008. Caracterização climática do Bioma Cerrado, p. 61-88. In: S. M. Sano, S. P. Almeida & J. F. Ribeiro, (Eds), Cerrado: ecologia e flora. Brasília, DF, Embrapa Cerrados.

Silva, J. A., D. B. Silva, N. T. V. Junqueira & R. M. Andrade. 1994. Frutas nativas dos cerrados. EMBRAPA/CPAC, Brasília, DF.

Silva, M. P., R. A. Mauro, G. M. Mourão & M. Coutinho. 2000. Distribuição e quantificação de classes de vegetação do Pantanal através de levantamento aéreo. Rev. Bras. Bot. 23: 143-152.

Toledo, G. L. & I. I. Ovalle. 1992. Estatística básica. 2. ed. Atlas, São Paulo.

Vicentini, A. & W.R. Anderson. 1999. Malpighiaceae, p. 505-511. In: J. E. L. S. Ribeiro, M. J. G. Hopkins, A. Vicentini, C. A. Sothers, M. A. S. Costa, J. M. Brito, M. A. D. Souza, L. H. P. Martins, L. G. Lohmann, P. A. C. L. Assunção, E. C. Pereira, C. F Silva, M. R. Mesquita & L. C. Procópio (Eds). Flora da Reserva Ducke: guia de identificação das plantas vasculares de uma floresta de terra firme na Amazônia Central. v. I. INPA-DFID, Manaus.

Zar, J. H. 1999. Biostatistical analysis. Prentice Hall, New Jersey.

Downloads

Publicado

13-12-2010

Como Citar

SILVÉRIO, D. V.; FERNANDES-BULHÃO, C. Fenologia reprodutiva e biometria de frutos e sementes de três espécies de Byrsonima Rich. ex Kunth (Malpighiaceae) no Parque do Bacaba, Nova Xavantina - Mato Grosso. Revista de Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, Goiânia, v. 6, n. 1, p. 55–73, 2010. DOI: 10.5216/rbn.v6i1.12629. Disponível em: https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/12629. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos