Estrutura e distribuição espacial de Trichilia elegans A. Juss. (Meliaceae) em uma floresta sem idecídua no Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul, Brasil

Autores

  • Carlos Rodrigo Lehn Portal da Educação
  • Suzana Maria Salis Embrapa Pantanal
  • Patrícia Póvoa Mattos
  • Geraldo Alves Damasceno Junior

DOI:

https://doi.org/10.5216/rbn.v5i2.9810

Palavras-chave:

Estádios ontogenéticos, estrutura, Meliaceae, padrão espacial, Pantanal

Resumo

Trichilia elegans A. Juss. é uma espécie com ampla distribuição, que ocorre desde a Venezuela até o Uruguai, e constitui componente comum no sub-bosque de formações estacionais. Mesmo que osprimeiros estudos sobre a flora pantaneira datem de mais de um século, trabalhos voltados para a estrutura e a distribuição espacial de espécies arbóreas ocorrentes na região são ainda raros. Os objetivosdo presente estudo foram identificar o padrão de distribuição espacial e a distribuição diamétrica deT. elegans e verificar se existe correlação entre o número de indivíduos jovens e o número de indivíduos adultos em uma floresta semidecídua no Pantanal da Nhecolândia. Para o levantamento, foram amostradas 50 parcelas de 200 m2 cada e inventariados os indivíduos jovens e adultos em cada uma delas. Com o intuito de identificar o padrão de distribuição espacial, foram utilizados o Índice de Morisita (IM) e a razão de variância/média (R). Foram encontrados 218 indivíduos jovens e 78 adultos. Indivíduos jovens e adultos apresentaram distribuição espacial agrupada, estando os jovens (IM = 2,32; R = 5,49) mais agrupados que os adultos (IM = 1,88; R = 2,05). O coeficiente de correlação linear encon-trado (r = 0,60) demonstrou que a densidade de indivíduos jovens está altamente correlacionada com a densidade de indivíduos adultos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Rodrigo Lehn, Portal da Educação

Portal Educação, Rua 7 de Setembro 1686, Centro, 79002-130, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil; e-mail: crlehn@gmail.com

Referências

Almeida, D. R., L. Cogliatti-Carvalho & C. F. D. Rocha. 1998. As bromeliáceas da Mata Atlântica da Ilha Grande, RJ: composição e diversidade de espécies em três ambientes diferentes. Bromélia 5: 54-65.

Antonini, R. D. & A. F. Nunes-Freitas. 2004. Estrutura populacional e distribuição espacial de Miconia prasina DC. (Melastomataceae) em duas áreas de Floresta Atlântica na Ilha Grande, RJ, Sudeste do Brasil. Acta Bot. Bras. 18: 671-676.

Bianchini, E., R. S. Popolo, M. C. Dias & J. A. Pimenta. 2003. Diversidade e estrutura de espécies arbóreas em área alagável do município de Londrina, Sul do Brasil. Acta Bot. Bras. 17: 405-419.

Brower, J. E. & J. H. Zar. 1984. Field & laboratory methods for general ecology. 2nd ed., Wm. C. Publishers, Dubuque, 226 p.

Budke, J. C., E. L. H. Giehl, E. A. Athayde & R. A. Záchia. 2004. Distribuição espacial de Mesadenella cuspidata (Lindl.) Garay (Orchidaceae) em uma floresta ribeirinha em Santa Maria, RS, Brasil. Acta Bot. Bras. 18: 31-35.

Carvalho, M. T. L., M. A. L. Fontes & A. T. Oliveira-Filho. 2000. Tree species distribution in canopy gaps and mature forest in an area of cloud forest of the Ibitipoca Range, south-eastern Brazil. Pl. Ecol. 149: 9-22.

Clark, D.A. & D. B. Clark. 1984. Spacing dynamics of a tropical rain forest tree: evaluation of the Janzen Connell model. Am. Nat. 124: 769-788.

Collins S. L. & S. C. Klahr. 1991. Tree dispersion in oak-dominated forest along an environmental gradient. Oecologia 86: 471-477.

Condit, R., P. S. Ashton, P. Baker, S. Bunyavejchewin, S. Hubbell, R. B. Foster, A. Itoh, J. V. LaFrankie, H. S. Lee, E. Losos, N. Manokaran, R. Sukumar & T. Yamakura. 2000. Spatial patterns in the distribution of tropical tree species. Science 288: 1414-1418.

Costa, F. R. C. & W. E. Magnusson. 2003. Effects of selective logging on the diversity and abundance of flowering and fruiting understory plants on a Central Amazonian Forest. Biotropica 35: 103-114.

Dubs, B. 1992. Observations on the differentiation of woodland and wet savanna habitats in the Pantanal of Mato Grosso, Brazil, p. 431-449. In: P. A. Furley, J. Proctor & J. A. Ratter (Eds), Nature and dynamics of forest savanna boundaries. London, Chapman & Hall.

Duncun R. D. 1991. Competition and the coexistence of species in a mixed podocarp stand. J. Ecol. 79: 1073-1084.

Embrapa. 1994. Plano de manejo da Estação Ecológica Nhumirim. Centro de Pesquisa Agropecuária do Pantanal (Corumbá, MS).

EMBRAPA-CPAP, Corumbá, 94 p. (Documentos 12). Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2009.

Embrapa. 1997. Boletim agrometeorológico: 1986 – 1996 (Fazenda Nhumirim). EMBRAPA CPAP, Corumbá. Boletim agrometeorológico 3. Disponível em: <http://www.cpap.embrapa.br/publicacoes/online/BA03.pdf> Acesso em: 5 mar. 2009.

Espírito-Santo, F. D. B., A. T. Oliveira-Filho, E. L. M. Machado, J. S. Souza, M. A. L. Fontes & J. J. G. S. M. Marques. 2002. Variáveis ambientais e distribuição de espécies arbóreas em um remanescente de floresta estacional semidecídua montana no campus da Universidade de Lavras, MG. Acta Bot. Bras. 16: 331-356.

Felfili, J. M. 1995. Diversity, structure and dynamics of a community forest in central Brazil. Vegetatio 117: 1-15.

Felfili, J. M. 1997. Diameter and height distributions in a gallery forest community and some of its main species in central Brazil over a six-year period (1985-1991). Rev. Brasil. Bot. 20: 155-162.

Fernandes, F. A., C. C. Cerri & A. H. B. M. Fernandes. 1999. Alterações na matéria orgânica de um podzol hidromórfico pelo uso com pastagens cultivadas no pantanal mato-grossense. Pesq. Agropec. Bras. 34: 1943-1951.

Ferreira-Júnior, W. G., A. F. Silva, C. E. G. R. Schaefer, J. A. A. M. Neto, A. S. Dias, M. Ignácio & M. C. M. P. Medeiros. 2007. Influence of soils and topographic gradients on tree species distributions in a Brazilian Atlantic tropical forest. Edinb. J. Bot. 64: 137-157.

Giehl, E. L. H., J. C. Budke & E. A. Athayde. 2007. Distribuição espacial de espécies arbóreas em uma floresta estacional em Santa Maria, sul do Brasil. Pesq. Bot. 58: 215-226.

Gondim, M. J. C. 2001. Dispersão de sementes de Trichilia spp. (Meliaceae) por aves em um fragmento de mata mesófila semidecídua, Rio Claro, SP, Brasil. Ararajuba 9: 101-112.

Hutchings, M. J. 1986. The structure of plant population, p. 97-136. In: M. J. Crawley (Ed), Plant ecology. Blackwell Scientific Publications, Oxford.

Kammescheidt, L. 1998. Stand structural and spatial pattern of commercial species in logged and unlogged Venezuelan Forest. For. Ecol. Manag. 109: 163-174.

Killeen, T. J., A. Jardim, F. Mamani & N. Rojas. 1998. Diversity, composition and structure of a tropical semideciduous forest in the Chiquitania Region of Santa Cruz, Bolivia. J. Trop. Ecol. 14: 803-827.

Leirana-Alcocer, J. & V. Parra-Tabla. 1999. Factors affecting the distribution, abundance, and seedling survival of Mammillaria gaumeri, an endemic cactus of coastal Yucatán, México. J. Arid Environ. 41: 421-428.

Lieberman, S. S. & C. F. Dock. 1982. Analysis of the leaf litter arthropod fauna of a lowland tropical evergreen forest site (La Selva, Costa Rica). Rev. Biol. Trop. 30: 27-34.

Lindenmaier, D. S. & J. C. Budke. 2006. Florística, diversidade e distribuição espacial das espécies arbóreas em uma floresta estacional na bacia do Rio Jacuí, Sul do Brasil. Pesq. Bot. 57: 193-216.

Marques, M. C. M. & C. A. Joly. 2000. Estrutura e dinâmica de uma população de Calophyllum brasiliense Camb. em floresta higrófila do sudeste do Brasil. Rev. Brasil. Bot. 23: 107-112.

Meirelles, M. L. & A. J. B. Luiz. 1995. Padrões espaciais de árvores de um cerrado em Brasília, DF. Rev. Brasil. Bot. 18: 185-189.

Meyer, H. A. 1952. Structure, growth, and drain in balanced unevenaged forests. J. For. 50: 85-92.

Meyer, H. A., A. B. Recknagel, D. D. Stevensoon & R. A. Bartoo. 1961. Forest management. Belhaven Press, Cambridge, 282 p.

Nascimento, A. R. T., J. M. Felfili & E. M. Meirelles. 2004. Florística e estrutura da comunidade arbórea de um remanescente de floresta estacional decidual de encosta, Monte Alegre, GO, Brasil. Acta Bot. Bras. 18: 659-669.

Nascimento, N. A., J. O. P. Carvalho & N. V. M. Leão. 2001. Distribuição espacial de espécies arbóreas relacionada ao manejo de florestas naturais. Rev. Ciênc. Agr. 37: 175-194.

Oliveira, P. E. A. M., J. F. Ribeiro & M. I. Gonzales. 1989. Estrutura e distribuição espacial de uma população de Kielmeyera coriacea Mart. de cerrados de Brasília. Rev. Bras. Bot. 12: 39-47.

Pennington, T. D. 1981. Meliaceae. In: Flora Neotropica. Monographie 28: 1-472.

Pott, A. & V. J. Pott. 1994. Plantas do Pantanal. Embrapa-SPI, Embrapa-CPAP, Brasília, DF, 320 p.

Ratter, J. A., A. Pott, V. J. Pott, C. N. Cunha & M. Haridassan. 1988. Observations on woody vegetation types in the Pantanal around Corumbá. Notes Royal Bot. Garden Edinb. 45: 503-525.

Schupp, E. W., T. Milleron & S. Russo. 2002. Dissemination limitation and the origin and maintenance of species-rich tropical forests, p. 19-33. In: D. J. Levey, W. R. Silva & M. Galleti (Eds), Seed dispersal and frugivory: ecology, evolution and conservation. CABI Publishing, New York.

Seidler, T. G. & J. B. Plotkin. 2006. Seed dispersal and spatial pattern in tropical trees. PLoS Biol. 4: 2132-2137.

Silva, M. P., V. J. Pott, F. J. Ponzoni & A. Pott.

Fitossociologia e estrutura de cerradão e mata semidecídua do Pantanal da Nhecolândia. In: Anais do III Simpósio sobre Recursos Naturais e Sócio-Econômicos do Pantanal: Os desafios do Novo Milênio. Embrapa Pantanal, Corumbá. Disponível em: <http://www.cpap. embrapa.br/agencia/congresso/Bioticos/ SILVA-082.pdf>. Acesso em: 5 mar. 2009.

Solbrig, O. T. 1981. Studies on the population biology of the genus Viola. II. The effect of plant size on fitness in Viola sororia. Evolution 35: 1080-1093.

Soriano, B. M. A. 1999. Caracterização climática de Corumbá. EMBRAPA-CPAP, Corumbá, 25 p. (Boletim de Pesquisa 11). Disponível em: <http://www.cpap.embrapa.br/publicacoes/online/BP11.pdf>. Acesso em: 5 mar. 2009.

Soriano, B. M. A. 2002. Boletim agrometeorológico: 1999 (Fazenda Nhumirim). EMBRAPA-CPAP, Corumbá, 21 p. (Documentos 26). Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2009.

Souza, J. P., G. M. Araújo & M. Haridasan. 2007. Influence of soil fertility on the distribution of tree species in a deciduous forest in the Triângulo Mineiro region of Brazil. Plant Ecol. 191: 253-263.

Souza, V. C. & H. Lorenzi. 2005. Botânica Sistemática. Editora Instituto Plantarum, Nova Odessa, 640 p.

Vacek, S. & J. Lepš. 1996. Spatial dynamics of forest decline: the role of neighboring trees. J. Veget. Sci. 7: 789–798.

Van Groenendael, J. M., S. H. Bullock & L. A. Pérez-Jiménez. 1996. Aspects of population biology of gregarious tree Cordia elaegnoides in Mexican tropical deciduous Forest. J. Trop. Ecol. 12: 11-24.

Zar, J. H. 1999. Bioestatistical analysis. 4th ed., Prentice Hall, Upper Saddle River, 663 p.

Downloads

Publicado

06-05-2010

Como Citar

LEHN, C. R.; SALIS, S. M.; MATTOS, P. P.; JUNIOR, G. A. D. Estrutura e distribuição espacial de Trichilia elegans A. Juss. (Meliaceae) em uma floresta sem idecídua no Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista de Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, Goiânia, v. 5, n. 2, p. 1–9, 2010. DOI: 10.5216/rbn.v5i2.9810. Disponível em: https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/9810. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)