Distribuição espacial em pequena escala de um anfípode exótico em fragmento florestal e plantio de espécies nativas

Autores

  • Cristiane Matavelli
  • Wesley Augusto Conde Godoy
  • Natalia Oliveira Leiner
  • Marcio Uehara-Prado

DOI:

https://doi.org/10.5216/rbn.v6i2.12853

Palavras-chave:

Amphipoda, espécie invasora, Floresta Atlântica, perturbação antrópica, Talitroides topitotum

Resumo

Interferências humanas nos ambientes naturais provocam a quebra de barreiras espaciais e competitivas, as quais podem influenciar a distribuição espacial das espécies. Neste trabalho, descrevemos a distribuição espacial de um anfípode exótico, Talitroides topitotum, em duas áreas distintas: um fragmento florestal e um plantio de espécies arbóreas nativas. Também analisamos possíveis variações dessa distribuição em diferentes épocas do ano e verificamos se a cobertura vegetal e a profundidade da serapilheira podem explicar o padrão de distribuição da espécie. Realizamos análises de distribuição de frequência para verificar os padrões de distribuição da espécie e testes de correlação para verificar o efeito das duas variáveis de estrutura do habitat. A análise de distribuição espacial revelou que T. topitotum tem distribuição agregada em ambas as áreas, o que indica que a espécie tem baixa exigência ambiental para seu estabelecimento ou que ambas as áreas encontram-se abaixo de um limiar mínimo de qualidade ambiental. No entanto, mesmo com esta semelhança, a população do fragmento florestal apresentou maior índice de agregação em relação à população do plantio. Corroborando estudos anteriores, houve correlação negativa entre abundância de T. topitotum e profundidade da serapilheira no plantio de espécies nativas. Estudos sobre habitats invadidos podem auxiliar a compreender como espécies invasoras ocupam novos ambientes e os que fatores podem influenciar em sua distribuição espacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alvarez, F., I. Winfield & S. Cházaro. 2000. Population study of the landhopper Talitroides topitotum (Crustacea: Amphipoda: Talitridae) in central Mexico. J. Nat. Hist. 34: 1619-1624.

Amin, M. N., M. Y. Ali & M. Salequzzaman. 2009. Identification and impact analysis of invasive species: a case study in the Mongla sea port area of Bagerhat district of Bangladesh. J. Sci. Technol. 4: 35–41.

Condit, R., P. S. Ashton, P. Baker, S. Bunyavejchewin, S. Gunatilleke, N. Gunatilleke, S. P. Hubbell, R. B. Foster, A. Itoh, J. V. LaFrankie, H. S. Lee, E. Losos, N. Manokaran, R. Sukumar & T. Yamakura. 2000. Spatial patterns in the distribution of tropical tree species. Science 288: 1414-1418.

Costa, F. R. C. & W. E. Magnusson. 2003. Effects of selective logging on the diversity and abundance of flowering and fruiting understory plants on a Central Amazonian Forest. Biotropica 35: 103-114.

Espínola, L. A. & H. F. Julio Junior. 2007. Espécies invasoras: conceitos, modelos e atributos. Interciencia 32: 580-585.

Fox, M. D. & B. J. Fox. 1986. The susceptibility of natural communities to invasion, p. 57- 66. In: R. H. Groves & J. J. Burdon (Eds), Ecology of biological invasions. Cam- bridge, University Press.

Freitas, S. R., R. Cerqueira & M. V. Vieira. 2002. A device and standard variables to describe microhabitat structure of small mammals based on plant cover. Braz. J. Biol. 62: 795-800.

Friend, J. A. & A. M. M. Richardson. 1986. Biology of terrestrial amphipods. Annu. Rev. Entomol. 31: 25-48.

Gongalsky, K. B., F. A. Savin, A. D. Pokar- zhevskii & Z. V. Filimonova. 2005. Spatial distribution of isopods in an oak–beech forest. Eur. J. Soil Biol. 41: 117–122.

Guix, J. C. 1994. Intervales, a plenitude da Mata Atlântica, p. 21-35. In: C. Leonel (Ed). Intervales. São Paulo, Fundação para a Conservação e Produção Florestal do Estado de São Paulo, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado do Meio Ambiente.

Koivula, M., P. Punttila, Y. Haila & J. Nie- melä. 1999. Leaf litter and the small-scale distribution of carabid beetles (Coleoptera, Carabidae) in the boreal forest. Ecography 22: 424-435.

Kolar, C. S. & D. M. Lodge. 2001. Progress in invasion biology: predicting invaders. Trends Ecol. Evol. 16: 199-204.

Kotze, D. J. & M. J. Lawes. 2008. Environmental indicator potential of the dominant litter decomposer, Talitriator africana (Crustacea, Amphipoda) in Afrotemperate forests. Austral. Ecol. 33: 737–746.

Krebs, C. J. 1998. Ecological methodology. 2nd ed. Benjamin Cummings, New York.

Kühn, I. & S. Klotz. 2007. From ecosystem invasibility to local, regional and global patterns of invasive species, p. 181-196. In: W. Nentwig (Ed), Biological invasions. Berlin, Springer Berlin Heidelberg. (Ecological Studies, 193).

Lam, P. K. S. & H. H. T. Ma. 1989. Some observations on the cycle and population dynamics of Talitroides topitotum (Burt) (Amphipoda; Talitridae) in Hong Kong. J. Nat. Hist. 23: 1087-1092.

Lemos de Castro, A. L. 1972. Talitrus (Talitroides) pacificus Hurley, anfípodo terrestre introduzido em São Paulo. Arq. Inst. Biol. S. Paulo, 9: 201-203.

Lopes, O. L. & S. Masunari. 2004. Distribuição de abundância de Talitroides topi- totum (Burt) (Crustacea, Amphipoda, Talitridae) na área de entorno da Usina Hidroelétrica de Guaratuba, Serra do Mar, Guaratuba, Paraná, Brasil. Rev. Bras. Zool. 21: 219-227.

Ludwig, J. A. & J. F. Reynolds. 1988. Statistical ecology: a primer on methods and com- puting. John Wiley & Sons, New York.

Mack, R. N., D. Simberloff, W. M. Lonsdale, H. Evans, M. Clout & F. A. Bazzaz. 2000. Biotic invasions: causes, epidemiology, global consequences, and control. Ecol. Appl. 10: 689-710.

Matavelli, C., M. Uehara-Prado, F. P. P. Leite, & A. V. L. Freitas. 2009. Some aspects of the population ecology of the exotic amphipod, Talitroides topitotum, in an Atlantic Forest Reserve in Brazil. Crustaceana 82: 241-251.

Nave, A. G. 2005. Banco de sementes autóctone e alóctone, resgate de plântulas e plantio de vegetação nativa a Fazenda Intermontes, município de Ribeirão Grande, SP. Tese de doutorado. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Nepstad, D. C., C. Uhl & C. A. Pereira. 1998. Estudo comparativo do estabelecimen- to de árvores em pastos abandonados e florestas adultas da Amazônia Oriental, p. 191-218. In: C. Gascon & P. Moutinho (Eds), Floresta Amazônica: dinâmica, regeneração e manejo. Manaus, INPA.

Nimer, E. 1989. Climatologia do Brasil. 2 ed. IBGE, Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais, Rio de Janeiro.

Olson, L. J. 2006. The economics of terrestrial invasive species: a review of the literature. Agr. Res. Econ. Rev. 35: 178-194.

Pinheiro, F., I. R. Diniz, D. Coelho & M. P. S. Bandeira. 2002. Seasonal pattern of insect abundance in the Brazilian Cerrado. Austral. Ecol. 27: 132–136.

Primack, B. R. & E. Rodrigues. 2001. Biologia da conservação. Editora Vida, Londrina.

Ricklefs, R. E. 2003. A economia da natureza. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro.

Rodríguez, J. P. 2001. Exotic species introductions into South America: an underestimated threat? Biodiv. Conserv. 10: 1983-1996.

Setzer, J. 1966. Atlas climático e ecológico do estado de São Paulo. Comissão Interestadual da Bacia Paraná-Uruguai, Centrais Elétricas de São Paulo, São Paulo.

Southwood, T. R. E. & P. A. Henderson. 2006. Ecological methods. Blackwell Science, Malden.

Spicer, J. I. & H. Tabel. 1996. Notes on the occurrence of the introduced landhopper Arcitalitrus dorrieni (Hunt, 1925) on Guernsey, Channel Islands. J. Nat. Hist. 30: 1625–1632.

Ulian, G. B. & E. G. Mendes. 1987. Preferences of a terrestrial amphipod, Talitrus (Talitroides) pacificus, Hurley, 1955, towards some environmental factors. Rev. Bras. Biol. 47: 247-256.

Downloads

Publicado

29-12-2010

Como Citar

MATAVELLI, C.; GODOY, W. A. C.; LEINER, N. O.; UEHARA-PRADO, M. Distribuição espacial em pequena escala de um anfípode exótico em fragmento florestal e plantio de espécies nativas. Revista de Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, Goiânia, v. 6, n. 2, p. 35–43, 2010. DOI: 10.5216/rbn.v6i2.12853. Disponível em: https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/12853. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos