Diversidade e Inclusão
Capa da Revista
PDF

Palavras-chave

Diversidade
Inclusão
Contabilidade
LGBTQIA

Como Citar

LOPES, I.; PAULO RESENDE DE LIMA, J. . Diversidade e Inclusão: Reflexões e Impactos da Natureza Política da Contabilidade. Revista Contabilidade & Inovação, Goiânia, v. 1, n. 1, 2022. DOI: 10.56000/rci.v1i1.71482. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rci/article/view/71482. Acesso em: 14 jul. 2024.

Resumo

Objetivo: O debate quanto à natureza política de diversidade e inclusão na contabilidade tem sido pouco fomentado por pesquisadoras e pesquisadores em algumas instanciações. Assim, com vistas a fomentar esse debate nesta pensata busca-se contextualizar a contabilidade no campo do conhecimento científico enfocando a sua natureza política de diversidade e inclusão apontando reflexões e impactos consubstanciados na emergência da temática, no instrumento político que área de conhecimento representa, nos aspectos relacionados a violação de direitos humanos e potência democrática e por fim, em consideração que inserem as organizações e as universidades no século XXI.

Método: Para alcançar o objetivo proposto o presente trabalho se desenvolve no formato de uma pensata.

Principais Resultados: Destaca-se o papel da contabilidade em termos de perpetuação das desigualdades de gênero e raça, elencando diferenças interseccionais que afetam o aspecto financeiro, social e profissional dos sujeitos LGBTQIA+. Ilustra-se que instrumentos políticos podem ser incluídos em um processo de mitigação das desigualadas na contabilidade. A pesquisa aponta também que as instituições da classe contábil são acessos que garantem segurança e liberdade, por meio da educação e da informação. Por fim, evidencia-se que o ingresso no século XXI é pautado a partir do diálogo entre as instituições de classe e que deste resultem em ações que permitam a garantia da permanência de corpos não-hegemônicos na contabilidade.

Principais Contribuições: No contexto atual torna-se salutar uma prática auto-reflexiva e crítica que direcione os acadêmicos e os profissionais a questionar e desalojar, se necessário, as pedras angulares do conhecimento contábil inscritas na masculinidade, na branquitude, no racismo, na perpetuação da desigualdade que continuam a informar as práticas contábeis cisheteronormativas. Dessa forma, a partir de um olhar político esta pesquisa preenche essa lacuna visando proporcionar um diálogo que mitigue as desigualdades, permita a democratização dos acessos aos corpos LGBTQIA+ na contabilidade e garantam a sua permanência.

https://doi.org/10.56000/rci.v1i1.71482
PDF