Novo registro de melanismo em gato-do-mato-pequeno Leopardus guttulus (Carnivora, Felidae): uma espécie recentemente reconhecida e ameaçada

Autores

Palavras-chave:

conservação, mutação genética, distribuição geográfica, felino

Resumo

O melanismo representa exemplos de evolução adaptativa com fins de camuflagem ou termorregulação, que pode determinar o habitat explorado e os períodos de maior atividade dos felinos com este fenótipo. Apesar de serem considerados relativamente comuns, os casos de melanismo em Leopardus guttulus são pouco registrados. Assim, apresentamos um novo registro de melanismo em relação a esta espécie no sul do Brasil. A gravação foi realizada com uma armadilha fotográfica, perto da borda de floresta, local de alta incidência luminosa. Fornecemos uma importante contribuição para compreender a distribuição geográfica do melanismo em L. guttulus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denyelle Hennayra Corá, Desenvolver Engenharia e Meio Ambiente

Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ. Trabalhou com morcegos durante os últimos anos na graduação e sua pesquisa de conclusão de curso foi relacionada a frugivoria e dispersão de sementes pela espécie de morcego Sturnira lilium. Participou de uma expedição científica na Antártica no verão de 2019/2020, na qual trabalhou com ecologia espacial e comportamental das espécies de aves marinhas Macronectes giganteus e Pygoscelis antarcticus. Atualmente trabalha com estudos de levantamento e monitoramento de fauna terrestre (vertebrados) na empresa de consultoria ambiental Desenvolver Engenharia e Meio Ambiente. A intenção para o futuro próximo é cursar mestrado, no qual sua pesquisa será direcionada à investigações sobre diferenças individuais ao nível sexual e intra-sexual no comportamento de forrageio de Macronectes giganteus.

João Carlos Marocco, Desenvolver Engenharia e Meio Ambiente

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2009)

Mario Arthur Favretto, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - campus de Joaçaba (2010), especialização em Gestão Ambiental pela Universidade Católica Dom Bosco (2014) e mestrado em Ecologia e Conservação pela Universidade Federal do Paraná (2016). Tem experiência em pesquisas nas áreas de Interações Ecológicas Planta-Animal, Ornitologia, Entomologia, Herpetologia, Seleção de Habitat, identificação de Orquídeas e Bromélias. Possui ampla experiência na realização de levantamentos e inventários de fauna, realiza estas atividades desde sua iniciação científica, tendo auxiliado no licenciamento ambiental de loteamentos, usinas hidrelétricas e usinas eólicas. Atualmente é Técnico de Laboratório / Biologia na Universidade Federal de Santa Catarina, campus de Florianópolis.

Osvaldo Onghero Junior, Desenvolver Engenharia e Meio Ambiente

Graduação em Ciências Biológicas, Unc Concórdia (2004). Especialista em Gestão Ambiental (2009). Atualmente é Proprietário e Responsável Técnico da Desenvolver - Engenharia e Meio Ambiente. Representante do Laboratório de Análises Ambientais e Engenharia, LABO PRIME de Timbó-SC. Áreas de atuação: Gestor Ambiental e Coordenador de projetos e monitoramentos ambientais (EIA, EAS, monitoramentos de empreendimentos de geração e transmissão de energia elétrica). Possui experiência nas áreas ambientais como: Educação Ambiental, Gestão Ambiental, Ecologia, e Zoologia, com ênfase em Conservação das Espécies Animais Neotropicais (Ictiofauna e Mastofauna), qualidade da água (fitoplâncton, zooplâncton e macrofauna bentônica).

Douglas Ticiani, Desenvolver Engenharia e Meio Ambiente

Mestre em Conservação e Manejo de Recursos Naturais pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2018), especialista em Auditoria, Perícia e Gestão Ambiental pela Unidade Central De Educação Faem Faculdade (2015), graduado em Gestão Ambiental na Faculdade de Técnologia Pedro Rogério Garcia (2011). Atua como consultor ambiental a cerca de 10 anos, com vasta experiência na prestação de serviços técnicos especializados ligados, principalmente, a levantamentos e monitoramentos biológicos, com ênfase em estudos ligados a ictiofauna e ictioplâncton. Adicionalmente, possui inúmeras atuações em estudos relacionados a fauna terrestre (avifauna, mastofauna e herpetofauna), além de supervisão de obras, educação ambiental, recuperação de áreas degradadas e gerenciamento de resíduos.

Referências

Almeida, A. L. 2015. Uso de passagens de fauna na rodovia CS-012, Cambará do Sul-RS. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Castelló, J. R. 2020. Felids and Hyenas of the World. Princeton, Princeton University Press.

Delhey, K. 2017. Gloger’s rule. Curr. Biol. 27: 681-701. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cub.2017.04.031

Delhey, K. 2019. A review of Gloger’s rule, an ecogeographical rule of colour: definitions, interpretations and evidence. Biol. Rev. 94: 1294-1316. DOI: https://doi.org/10.1111/brv.12503

Eizirik, E., N. Yuhki, W. E. Johnson, M. Menotti-Raymond, S. S. Hannah & S. J. O’Brien. 2003. Molecular genetics and evolution of melanism in the cat family. Current Biology. 13: 448-453. DOI: https://doi.org/10.1016/S0960-9822(03)00128-3

Graipel, M. E., L. G. R. Oliveira-Santosa, F. V. B. Goularta, M. A. Tortato, P. R. M. Millera & N. C. Cáceres. 2014. The role of melanism in oncillas on the temporal segregation of nocturnal activity. Braz. J. Biol. 74: 142-145. DOI: https://doi.org/10.1590/1519-6984.14312

Graipel, M. E., J. A. Bogoni, E. L. H. Giehl, F. O. Cerezer, N. C. Cáceres & E. Eizirik. 2019. Melanism evolution in the cat family is influenced by intraspecific communication under low visibility. Plos One. 14: e0226136. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0226136

Hegel, C. G. Z., G. C. Consalter & N. Zanella. 2012. Mamíferos silvestres atropelados na rodovia RS-135, norte do Estado do Rio Grande do Sul. Biotemas. 25(2): 165-170.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2012. Manual técnico da vegetação brasileira. Manuais técnicos em geociências. Rio de Janeiro, IBGE.

Ito, S. & K. Wakamatsu. 2003. Quantitative analysis of eumelanin and pheomelanin in humans, mice, and other animals: a comparative review. Pigment Cell Melanoma Res. 16: 523-531. DOI: https://doi.org/10.1034/j.1600-0749.2003.00072.x

Johnson, W. E., E. Eizirik, J. Pecon-Slattery, W. J. Murphy, A. Antunes, E. Teeling & S. J. O’brien. 2006. The late Miocene radiation of modern Felidae: a genetic assessment. Science 311: 73-77. DOI: https://doi.org/10.1126/science.1122277

Kasper, C. B., F. D. Mazim, J. B. G. Soares, T. G. Oliveira & M. E. Fabián. 2007. Composição e abundância relativa dos mamíferos de médio e grande porte no Parque Estadual do Turvo, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. Bras. Zool. 24: 1087-1100.

Kasper, C. B., M. J. Feldens, F. D. Mazim, A. Schneider, C. V. Cademartori & H. C. Z. Grillo. 2007. Mamíferos do Vale do Taquari, região central do Rio Grande do Sul. Biociências. 15: 53-62.

Kasper, C. B., A. Schneider & T. G. Oliveira. 2016. Home range and density of three sympatric felids in the Southern Atlantic Forest, Brazil. Braz. J. Biol. 76: 228-232. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1519-6984.19414

Kitchener, A. C., C. Breitenmoser, E. Eizirik & A. Gentry. 2017. A revised taxonomy of the Felidae. Cat News. 11: 3-79.

Majerus, M. E. N. & N. I. Mundy. 2003. Mammalian melanism: natural selection in black and white. Trends in Genetics. 19: 585-588. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tig.2003.09.003

Marques, R. V., C. V. Cademartori & S. M. Pacheco. 2011. Mastofauna no Planalto de Araucárias, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. Bras. Biociênc. 9: 278-288.

Mattern, M. Y. & D. A. Mclennan. 2000. Phylogeny and speciation of felids. Cladistics. 16: 232-253. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1096-0031.2000.tb00354.x

Mooring, M. S., A. A. Eppert & R. T. Botts. 2020. Natural selection of melanism in Costa Rican jaguar and oncilla: a test of Gloger’s rule and the temporal segregation hypothesis. Trop. Conserv. Sci. 13: 1-15. DOI: https://doi.org/15. 10.1177/1940082920910364

Nascimento, F. O. & A. Feijó. 2017. Taxonomic revision of the tigrina Leopardus tigrinus (Schreber, 1775) species group (Carnivora, Felidae). Pap. Avulsos Zool. 57: 231-264. DOI: https://doi.org/10.11606/0031-1049.2017.57.19

Nowell, K. & P. Jackson. 1996. Wild Cats – Status Survey and Conservation Action Plan. Gland, IUCN/SSC Cat Specialist Group. DOI: https://portals.iucn.org/library/node/6998

Oliveira, T., T. Trigo, M. Tortato, A. Paviolo, R. Bianchi & M. R. P. Leite-Pitman. 2016. Leopardus guttulus. The IUCN Red List of Threatened Species: e.T54010476A54010576.

Oliveira, T. G. & K. Cassaro. 1999. Guia de identificação dos felinos brasileiros. São Paulo, Sociedade de Zoológicos do Brasil.

Oliveira-Santos L. G. R., M. E. Graipel, M. A. Tortato, C. A. Zuco, N. C. Cáceres & F. V. B. Goulart. 2012. Abundance changes and activity flexibility of the oncilla, Leopardus tigrinus (Carnivora: Felidae), appear to reflect avoidance of conflict. Zoologia. 29: 115-120. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1984-46702012000200003

Peters, F. B., P. R. O. Roth, L. F. Machado, E. L. Coelho, D. M. H. Jung & A. U. Christoff. 2010. Assembleia de mamíferos dos agroecossistemas constituintes da bacia hidrográfica do rio da Várzea, Rio Grande do Sul. Biotemas. 23: 91-107.

Pertile, S. 2016. Diversidade de mamíferos de médio e grande porte em dois Parques Nacionais localizados nos Campos de Cima da Serra, RS, Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Reis, N. R., A. L. Peracchi, M. N. Fregonezi & B. K. Rossaneis. 2010. Mamíferos do Brasil: guia de identificação. Technical Books, Rio de Janeiro.

Rinaldi, A. R., F. H. Rodriguez & F. C. Passos. 2015. Is it possible to identify four small Neotropical felids (Carnivora: Felidae) based on hair microstructure? Zoologia. 32: 77-82. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1984-46702015000100012

Rosot, M. A. D., Y. M. M. Oliveira, P. P. Mattos, M. C. Garrastazu & J. Y. Shimizu. 2007. Monitoramento na Reserva Florestal da Embrapa/Epagri (RFEE) em Caçador, SC. Colombo, Embrapa Florestas.

Santana, G. S. 2012. Fatores influentes sobre atropelamentos de vertebrados na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. Neotropical Biol. Conserv. 7: 26-40.

Schneider, A., V. A. David, W. E. Johnson, S. J. O'Brien, G. S. Barsh, M. Menotti-Raymond & E. Eizirik. 2012. How the leopard hides its spots: ASIP mutations and melanism in wild cats. Plos One. 7: e50386. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0050386

Silva, L. G. 2017. Ecology and evolution of melanism in big cats: case study with black leopards and jaguars. pp. 93-100. In: Shrivastav, A. B. & K. P. Singh (Eds.). Big cats. DOI: https://doi.org/10.5772/66582

Silva, L. G., T. G. Oliveira, C. B. Kasper, J. J. Cherem, E. A. Moraes, A. Paviolo & E. Eizirik. 2016. Biogeography of polymorphic phenotypes: mapping and ecological modelling of coat colour variants in an elusive neotropical cat, the jaguarundi (Puma yagouaroundi). J. Zoo. 299: 295-303. DOI: https://doi.org/10.1111/jzo.12358

Silveira, R. R. & C. V. Cademartori. 2017. Padrões de uso de tocas por mamíferos em área de Floresta Estacional Semidecidual no sul do Brasil. Rev. Bras. Zoociências. 18: 61-70.

Trigo, T. C., A. Schneider, T. G. Oliveira, L. M. Lehugeur, L. Silveira, T. R. O. Freitas & E. Eizirik. 2013a. Molecular data reveal complex hybridization and a cryptic species of Neotropical wild cat. Curr. Biol. 23: 2528-2533. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cub.2013.10.046

Trigo, T. T., F. P. Tirelli, L. F. Machado, F. B. Peters, C. B. Indrusiak, F. D. Mazim, D. Sana, E. Eizirik & T. R. O. Freitas. 2013b. Geographic distribution and food habits of Leopardus tigrinus and L. geoffroyi (Carnivora, Felidae) at their geographic contact zone in southern Brazil. Stud. Neotrop. Fauna Environ. 48(1): 56-67. DOI: https://doi.org/10.1080/01650521.2013.774789

Downloads

Publicado

19-07-2021

Como Citar

Corá, D. H., Marocco, J. C., Favretto, M. A., Onghero Junior, O., & Ticiani, D. (2021). Novo registro de melanismo em gato-do-mato-pequeno Leopardus guttulus (Carnivora, Felidae): uma espécie recentemente reconhecida e ameaçada. Revista De Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, 18(2), First Online. Recuperado de https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/66831