Crescimento e alocação de fitomassa de cinco gramíneas forrageiras em condições de Cerrado

Autores

  • Tomás de Aquino Portes
  • Sabrina Isabel Costa de Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.5216/rbn.v6i2.13892

Palavras-chave:

Análise de crescimento, Brachiaria, matéria seca, Panicum, taxa assimilatória líquida

Resumo

Gramíneas forrageiras são espécies dominantes nas pastagens brasileiras, destacando-se entre elas Brachiaria decumbens, B. brizantha cv. Marandu e Panicum maximum cv. Colonião, Tanzânia e Mombaça. A fim de aumentar o conhecimento relativo ao crescimento dessas forrageiras, bem como da partição de matéria seca entre os seus diferentes órgãos aéreos em diferentes épocas de desenvolvimento foi conduzido o presente trabalho. Empregou-se delineamento experimental de blocos ao acaso com cinco tratamentos (capins) e quatro repetições. B. decumbens foi a que mais produziu perfilhos (NP). Até 55 dias após a emergência (DAE), Mombaça foi a forrageira que mais produziu matéria seca total (MST); porém, a partir de 62 DAE, as produções de todas as espécies não diferiram estatisticamente. Mombaça apresentou o maior índice de área foliar (IAF). A alocação de fitomassa incorporada como matéria seca de colmos (MSC) foi maior em relação àquela direcionada para a produção de matéria seca de folhas verdes (MSFV), a partir de 41 DAE para B. decumbens, cv. Colonião e Tanzânia, 55 DAE para Mombaça e 62 DAE para B. brizantha. As taxas de crescimento da cultura (TCC) máximas instantâneas para os capins foram alcançadas aos 62 DAE, sendo: B. decumbens - 37,1 g m-2 dia-1, B. brizantha - 49,2 g m-2 dia-1, cv. Colonião - 54,71 g m-2 dia-1, cv. Tanzânia - 55,7 g m-2 dia-1e cv. Mombaça - 45,4 g m-2 dia-1.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Andrade, J. B., R. P. Benintende, E. Ferrari Júnior, V. T. Paulino, W. Henrique, J. C. Werner & H. B. Mattos. 1996. Efeito da adubação nitrogenada e potássica na produção e composição da forragem de Brachiaria ruziziensis. Pesq. Agropec. Bras. 31: 617-620.

Bernardo, E. R. de A., V. de F. Rocha, O. Puga & R. A. Silva. 2003. Espécies de cigarrinhas-das-pastagens (Hemiptera: Cercopidae) no meio-norte do Mato Grosso. Pastagens (Hemiptera: cercopidae) no meio-norte do Mato Grosso. Ciênc. Rural 33: 369-371.

Blackman, V. H. 1919. The compound interest law and plant growth. Ann. Bot. 33: 353-360.

Boddey, R.M., R. Macedo, R. M. Tarré, E. Ferreira, O. C. Oliveira, C. P. Rezende, R. B. Cantarutti, J. M. Pereira, B. J. R. Alves & S. Urquiaga. 2004. Nitrogen cycling in Brachiaria pastures: the key to understanding the process of pasture decline. Agric. Ecosyst. Environ. 103:389-403.

Botrel, M. de A., M. J. Alvim & D. F. Xavier. 1999. Avaliação de gramíneas forrageiras na região sul de Minas Gerais. Pesq. Agropec. Bras. 34: 683-689.

Braz, A. J. B. P., H. J. Kliemann & P. M. Silveira. 2005. Produção de fitomassa de espécies de cobertura em latossolo vermelho distroférrico. Pesq. Agropec. Trop. 35: 55-64.

Canto, M. W., C. C. Jobim, E. Gasparino & A. R. Hoesch. 2008. Características do pasto e acúmulo de forragem em capim-tanzânia submetidos a alturas de manejo do pasto. Pesq. Agropec. Bras. 43: 429-435.

Dias Filho, M. B. 2002. Photosynthetic light response of the C4 grasses Brachiaria brizantha and B. humidicola under shade. Scient. Agric. 59: 65-68.

Estrada, C. L. H., D. Nascimento Junior & A. J. Regazzi. 1991. Efeito do número e tamanho do quadrado nas estimativas pelo Botanal da composição botânica e disponibilidade de matéria seca de pastagens cultivadas. Rev. Soc. Bras. Zootec. 20: 483-493.

Gerdes, L., J. C. Werner, M. T. Colozza, D. D. Carvalho & E. A. Schammas. 2000. Avaliação de características agronômicas e morfogênicas das gramíneas forrageiras Marandu, Sectária e Tanzânia aos 35 dias se crescimento nas estações do ano. Rev.

Bras. Zootec. 29: 947–954.

Gomide, C. A. M. & J. A. 1996. Gomide. Morfogênese e análise de crescimento de cultivares de Panicum maximum. In: 33a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Fortaleza, CE. Anais. p. 403-405.

Kvet, J., J. P. Ondok, J. Ne?as & P. G. Jarvis. 1971. Methods of growth analysis, p. 343-391. In: Z. Restak, J. Catsky & P. G. Jarvis (Eds). Plant photosynthetic production: manual of methods. The Hague, W. Junk.

Paciullo, D. S. C., C. A. B. Carvalho, L. J. M. Aroeira, M. F. Morenz, F. C. F. Lopes & R. O. P. Rosiello. 2007. Morfofisiologia e valor nutritivo do capim-braquiária sob sombreamento natural e a sol pleno. Pesq. Agropec. Bras. 4: 573-579.

Portes, T. A. & L. G. Castro Júnior. 1991. Análise de crescimento de plantas: um programa computacional auxiliar. Rev. Bras. Fisiol. Veg. 3: 53-56.

Portes, T. A., S. I. C. Carvalho, I. P. Oliveira & J. Kluthcouski. 2000. Análise de crescimento de uma espécie de braquiária consorciada com as culturas de milho, sorgo, milheto e arroz. Pesq. Agropec. Bras. 35: 1349-1358.

Portes, T. A., S. I. C. Carvalho & J. Kluthcouski. 2003. Aspectos fisiológicos das plantas cultivadas e análise de crescimento da braquiária consorciada com cereais, p. 304-329. v. 1. In: J. Kluthcouski, L. F. Stone & H. Aidar (Eds). Integração lavoura-pecuária. 1 ed. Goiânia, Talento Gráfica e Editora.

Taiz, L. & Zeiger, E. 2008. Plant physiology. The Benjamin Cummings Publishing Company, Redwood.

Zimmer, A. H. & E. S. Corrêa. 1993. A pecuária nacional, uma pecuária de pasto. In: 1o Encontro sobre recuperação de pastagens, Nova Odessa, SP. Anais. p. 1-25.

Downloads

Publicado

14-04-2011

Como Citar

PORTES, T. de A.; CARVALHO, S. I. C. de. Crescimento e alocação de fitomassa de cinco gramíneas forrageiras em condições de Cerrado. Revista de Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, Goiânia, v. 6, n. 2, p. 1–14, 2011. DOI: 10.5216/rbn.v6i2.13892. Disponível em: https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/13892. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)