COMPOSIÇÃO FÍSICA DA CARCAÇA E QUALIDADE DA CARNE DE NOVILHOS E VACAS DE DESCARTE DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS SUBMETIDOS A DIFERENTES FREQUÊNCIAS DE ALIMENTAÇÃO

Autores

  • Jonatas Cattelam Universidade Federal de Santa Maria
  • Luís Fernando Glasenapp de Menezes Universidade Federal de Santa Maria
  • Julcemir João Ferreira Bunge Alimentos
  • João Restle Universidade Federal de Goias
  • Ivan Luiz Brondani Universidade Federal de Santa Maria
  • Miguelangelo Ziegler Arboitte Universidade Federal de Santa Maria
  • Perla Cordeiro de Paula Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v10i3.3450

Palavras-chave:

Produção de bovinos de corte, qualidade de carne

Resumo

Objetivou-se, com este estudo, avaliar a composição física da carcaça e a qualidade da carne de novilhos e vacas de descarte 5/8Charolês (Ch) 3/8Nelore (Ne) e 5/8Ne 3/8Ch, terminados em confinamento, submetidos a distintas frequências de alimentação: duas (7 e 19h), três (7, 13 e 19h) ou quatro (7, 11, 15 e 19h) vezes ao dia. A idade média dos animais ao final do período experimental foi de 24 meses para os novilhos e 69 meses para as vacas de descarte. A dieta continha relação volumoso:concentrado de 40:60, com x de PB e 2.869 kcal de ED)/kg  (na base seca). O fracionamento da alimentação em duas, três ou quatro vezes ao dia não influenciou nenhuma das características avaliadas. As vacas apresentaram maior porcentagem de gordura na carcaça (24,56% contra 20,54%), enquanto os novilhos foram superiores no percentual de músculo na carcaça (64,93% contra 61,04%). Porém as categorias não diferiram quanto à percentagem de osso e à relação músculo+gordura:osso. O grupo genético não influenciou a composição física da carcaça e a qualidade da carne. Foi observada interação significativa entre a categoria e o grupo genético para a textura da carne. Vacas do grupo genético 5/8Ch 3/8Ne apresentaram textura mais grosseira em relação aos novilhos, enquanto que nos animais 5/8Ne 3/8Ch a textura foi semelhante entre as categorias. O aumento no fornecimento da alimentação de duas para três ou quatro vezes não influenciou a composição física da carcaça e as características da carne. Vacas apresentaram carcaça com maior participação de gordura, enquanto os novilhos apresentaram maior porcentagem de músculo. A terminação de vacas em confinamento resultou em carne de qualidade semelhante à de novilhos. O grupo genético não influenciou a composição física da carcaça e as características qualitativas da carne.

Palavras-chaveS: Gordura, maciez, marmoreio, músculo, textura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-09-30

Como Citar

CATTELAM, J.; DE MENEZES, L. F. G.; FERREIRA, J. J.; RESTLE, J.; BRONDANI, I. L.; ARBOITTE, M. Z.; DE PAULA, P. C. COMPOSIÇÃO FÍSICA DA CARCAÇA E QUALIDADE DA CARNE DE NOVILHOS E VACAS DE DESCARTE DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS SUBMETIDOS A DIFERENTES FREQUÊNCIAS DE ALIMENTAÇÃO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 10, n. 3, p. 764–775, 2009. DOI: 10.5216/cab.v10i3.3450. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/3450. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Produção Animal