Francisco Xavier Baptista’s keyboard works

Analysis and attribution of his last sonatas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v23.75308

Palavras-chave:

Analysis, Francisco Xavier Bachixa, Francisco Xavier Baptista, Keyboard sonata, Portuguese music, Sonata Theory

Resumo

O compositor português Francisco Xavier Baptista (1741-1797) escreveu dezasseis sonatas para tecla, duas das quais estão preservadas com o nome de Francisco Xavier Bachixa. A partir de uma análise baseada na Teoria da Sonata de Hepokoski e Darcy, este estudo identifica as características das sonatas de Baptista, bem como o seu modelo de sonata: um ciclo de dois andamentos que termina com um minueto, sendo este representativo de uma clara transformação formal. Além disso, a comparação das sonatas de um único andamento indicadas com o nome Bachixa mostra que estas foram as últimas obras escritas pelo compositor e revela uma nova abordagem formal e estilística da composição da sonata portuguesa para tecla nos finais do século XVIII.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mafalda Nejmeddine, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM/IN2PAST) - Universidade de Évora, Évora, Portugal

Mafalda S. Nejmeddine é cravista e musicóloga, doutorada pela Universidade de Évora em Música e Musicologia na especialidade de Interpretação, e investigadora integrada do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM/IN2PAST) na Universidade de Évora. É especialista em música antiga portuguesa, nomeadamente a sonata portuguesa para tecla, e desenvolveu uma série de trabalhos que envolveram a investigação, a interpretação e a divulgação do repertório português para tecla do século XVIII. Entre eles, destacam-se a edição discográfica e a edição da partitura da coleção "Sei sonate per cembalo" de Alberto José Gomes da Silva.

Downloads

Publicado

2023-07-10

Como Citar

NEJMEDDINE, M. Francisco Xavier Baptista’s keyboard works: Analysis and attribution of his last sonatas. Música Hodie, Goiânia, v. 23, 2023. DOI: 10.5216/mh.v23.75308. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/75308. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos