Música e identidade na Romaria ao Divino Pai Eterno de Trindade, Goiás

Autores

  • José Reinaldo Felipe Martins Filho Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, jreinaldomartins@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-7722-3729

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v18i2.51137

Palavras-chave:

Música, Identidade, Romaria ao Divino Pai Eterno, Goiás

Resumo

Este artigo discute o papel da música como constituinte identitário na Romaria ao Divino Pai Eterno desenvolvida no município de Trindade, em Goiás. Integra o horizonte mais amplo de nossas pesquisas sobre o catolicismo popular goiano em sua expressão musical – com resultados que envolvem não apenas a devoção ao Divino Pai Eterno, mas também outras manifestações da cultura religiosa goiana. Em primeiro lugar, verifica a presença da música – mormente por meio do canto e da prática instrumental – nos primeiros anos da festa, beneficiando-se, para isso, das crônicas registradas pela Província Redentorista em Goiás, datadas de 1908 a 1963. Por conseguinte, vale-se do testemunho oferecido pelos romeiros entrevistados nos dias de festa, bem como dos princípios da análise retórica – com fundamentos não apenas culturais, mas teológicos – elencando o que denominamos como o ranking dos principais exemplos musicais presentes na atualidade da devoção. Pretende contribuir nas discussões sobre culturas e religiosidades populares em Goiás, particularmente quando estas tocam temas como identidade, festas, religião e música.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Reinaldo Felipe Martins Filho, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, jreinaldomartins@gmail.com

Referências

CANCLINI, Nestor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Heloísa Pezza Cintrão, Ana Regina Lessa; tradução da introdução de Gênese Andrade. 4ª.ed. 5ª.reimp. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2011. (Ensaios Latino-americanos, 1)

COELHO, T. Dicionário crítico de política cultural. 3. ed. São Paulo: FAPESP/Iluminuras, 2004.

CRÔNICAS. Crônicas provinciais redentoristas (1908-1965). [manuscritos] Goiânia, s/d.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Tradução de Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992. (Tópicos)

FUBINI, Enrico. Música y lenguaje en la estetica contemporánea. Madrid: Alianza Editorial, 2001.

JACÓB, Amir Salomão. A Santíssima Trindade do Barro Preto: história da Romaria de Trindade. Trindade: Redentorista, 2000.

MARTINS FILHO, J. R. F. Música Ritual e Inculturação: um estudo a partir da Folia de Reis de São José do Morumbi, Go. [manuscrito] Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Música da UFG, 2016.

ORTIZ, Fernando. Contrapuento cubano del tabaco y el azúcar. Caracas, Venezuela: Biblioteca Ayacucho, 1987.

OTTO, Rudolf. O Sagrado: um estudo do elemento não-racional na ideia do divino e a sua relação com o racional. Tradução de Prócoro Velasques Filho. São Bernardo do Campo: Imprensa Metodista, 1985.

SANTOS, Miguel Archângelo Nogueira dos. Trindade de Goiás, uma cidade santuário: conjuntura de um fenômeno religioso no Centro-Oeste brasileiro. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1976. Dissertação de Mestrado em História [manuscrito].

SOUZA, Ana Guiomar Rêgo. “Festando na ‘Pátria Formosa do Índio Goyᒔ. In. Paixões em cena: a Semana Santa na cidade de Goiás (século IXX). Brasília: UNB/ Instituto de Ciências Humanas – Departamento de História, 2008. [manuscrito – tese de doutorado] pp. 120-172.

VAN DER POEL, Franciscus Henricus. A origem do congado. Disponível em http://www.religiosidadepopular.uai vip.com.br/congadorigem.htm Acesso em 29 de julho de 2014.

Downloads

Publicado

07-12-2018

Como Citar

Felipe Martins Filho, J. R. (2018). Música e identidade na Romaria ao Divino Pai Eterno de Trindade, Goiás. Revista Música Hodie, 18(2), 229–244. https://doi.org/10.5216/mh.v18i2.51137

Edição

Seção

Artigos