O Lugar da performance na música indeterminada cageana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v17i1.46422

Palavras-chave:

performance musical, John Cage, indeterminac?a?o em mu?sica, musicologia

Resumo

Reflexa?o sobre o status do inte?rprete no a?mbito da indeterminac?a?o musical cageana na qual este teria a prerrogativa de definir a forma musical de tal modo que o pro?prio compositor seria capaz de surpreender-se com o resultado. Pretende-se demonstrar que tal corola?rio funciona, na pra?tica, a despeito do enunciado principal, como uma ferramenta refinada de controle do inte?rprete. Tal conclusa?o nos leva a? necessidade de se pensar uma musicologia capaz de, na?o apenas incluir a performance como insta?ncia criativa do processo musical, mas que a propusesse como item priorita?rio de uma mudanc?a paradigma?tica da a?rea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valério Fiel da Costa, UFPB

Possui graduação em Música (2000), mestrado em Música (2003) e doutorado em Música (2009) pela UNICAMP. Professor Adjunto Nível I do DEMUS do CCTA/UFPB, pesquisador frente ao laboratório COMPOMUS (composição musical). É lider do Grupo de Pesquisa "Estudos em (des)Territorialização da Performance". Lançou em 2016 o livro "Morfologia da Obra Aberta: esboço de uma teoria geral da forma musical" pela Editora Prismas. Atualmente é coordenador do Programa de Pós Graduação em Música - PPGM/ CCTA/UFPB. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Composição musical, Musicologia e Estética, atuando principalmente nos seguintes temas: criação musical, análise morfológica, forma aberta e piano preparado.

Referências

ATTALI, Jacques. Noise: the political economy of music. Minneapolis/London: University of Minnesota Press, 2009.

BOURDIEU, Pierre. As Regras da Arte: ge?nese e estrutura do campo litera?rio. Sa?o Paulo: Companhia das Letras, 1996.

BOULEZ, Pierre. Alea. In Perspectives of New Music, Vol.3, N°1, pp.42-53, 1964. BUNGER, Richard. The Well prepared piano. San Pedro: Litoral Arts Press, 1981. CAGE, John. A Year from monday: new lectures and writings by John Cage. Middletown: Wesleyan, 1969.

_____. Silence: Lectures and writings by John Cage. Middletown: Wesleyan, 1973. CARON, Jean-Pierre. Da Ontologia a? Morfologia: reflexo?es sobre a identidade da obra musical. Dissertac?a?o de mestrado em filosofia. IFCS-UFRJ: Rio de Janeiro, 2011.

CHARLES, Daniel. John Cage: Luring Music away from the West? In: The Complete John Cage Edition, Vol.29: Mode Records, 2005.

COOK, Nicholas. Entre o Processo e o produto: Mu?sica e/enquanto performance. In: Revista Per Musi No14. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

COSTA, Valério Fiel da. Morfologia da Obra Aberta: esboço de uma teoria geral da forma musical. Curitiba: Prismas, 2016

COSTA, V. F. & BRITO, L. N. Padrões morfológicos em duas peças de caráter aberto da escola de Nova York. Anais da XXV ANPPOM, vol. 1, Vitória-ES, 2015.

COSTA, V. F. & MEDEIROS, D. M. D. A Teoria Tempo-Espaço como ferramenta analítica para obras de caráter aberto de L. C. Vinholes: o caso da Instrução 61. Anais da XXIV ANPPOM, vol. 1, São Paulo-SP, 2014.

FLEMING, Richard and DUCKWORTH, William. John Cage at Seventy-Five. Lewinsburg: Bucknell University Press, 1989.

GOEHR. Lidia. The Imaginary Museum of Musical Works: an essay in the philosophy of music. Oxford: Clarendon, 1992.

JOHNSON, Tom. Intentionality and Nonintentionality in the Performance of Music by John Cage. In FLEMING, Richard and DUCKWORTH, William. John Cage at Seventy-Five. Lewinsburg: Bucknell University Press, 1989. p.262-269. JUNKERMAN, Charles. “nEw/ foRms of living together”: The Model of the Musicircus. In PERLOFF, Marjorie & JUNKERMAN, Charles. (orgs) John Cage: Composed in America. Chicago: University of Chicago Press, 1994.

KOSTELANETZ, Richard. Conversing with Cage. New York: Routledge, 2003. NYMAN, Michael. Experimental Music: Cage and Beyond. New York: Schirmer, 1981.

PIEKUT, Benjamin. Experimentalism Otherwise: The New York Avant-Garde and Its Limits. Berkeley: University of California Press, 2011.

PRITCHETT, James. The Music of John Cage. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.

REICHERT, Manfred. Thirteen. Mode Records, 1992.

ROSEN, Charles. Sonata Forms. New York: Norton, 1988.

Downloads

Publicado

2018-03-02

Como Citar

DA COSTA, V. F. O Lugar da performance na música indeterminada cageana. Música Hodie, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 7–18, 2018. DOI: 10.5216/mh.v17i1.46422. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/46422. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos