As instâncias narrativas e as (de)formações identitárias no número musical “Né me quitte pas”, no filme “A Lei do desejo” (1987)

Autores

  • Roberto Reiniger

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v16i1.42909

Resumo

Este artigo tem por objetivo pontuar a encenação do número musical “Né me quitte pas”, no filme “A Lei do desejo” (La Ley del deseo, 1987), de Pedro Almodóvar, enquanto um elemento narrativo que interfere de forma direta no desenvolvimento de sua trama. Suas distintas instâncias narrativas, dentre elas, sua trilha sonora, trabalham com códigos, parâmetros e signos que atuam de forma assertiva na construção das identidades de suas personagens, deixando-as em um estado constante de revelações e reconstruções de valores comportamentais. Trata-se de um jogo cênico interpessoal, que será analisado aqui, através de relações entre os conceitos teóricos desenvolvidos por Jean Baudrillard e Jacques Aumont. Palavras-chave: Pedro Almodóvar; Número musical; Instâncias narrativas; (De)formações identitárias; A lei do desejo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-09-2016

Como Citar

Reiniger, R. (2016). As instâncias narrativas e as (de)formações identitárias no número musical “Né me quitte pas”, no filme “A Lei do desejo” (1987). Revista Música Hodie, 16(1). https://doi.org/10.5216/mh.v16i1.42909

Edição

Seção

Artigos