Aspectos de Performance nos Tratados Portugueses Sobre Baixo Contínuo

Autores

  • Gustavo Angelo Dias

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v12i2.22630

Resumo

A teoria portuguesa do baixo contínuo, compreendida entre o século XVIII e início do XIX, reflete o momento musical vivido por Portugal na era Barroca. Sob forte influência italiana, a preponderância da prática musical portuguesa alterna-se entre o repertório sacro de estilo romano e a música profana, representada por óperas, serenatas e obras instrumentais. Os estilos musicais encontrados neste período manifestam esta convivência, que também caracteriza a teoria do baixo contínuo. Neste trabalho busco analisar aspectos relativos à performance encontrados em cinco destacados tratados portugueses, perfazendo o período de 1735 a 1806, a fim de evidenciar elementos da prática musical correspondente. Palavras-chave: Baixo contínuo; Música portuguesa do século XVIII; Performance de Música Barroca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-02-18

Como Citar

ANGELO DIAS, G. Aspectos de Performance nos Tratados Portugueses Sobre Baixo Contínuo. Música Hodie, Goiânia, v. 12, n. 2, 2013. DOI: 10.5216/mh.v12i2.22630. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/22630. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos