PEDAGOGIAS LIBERTÁRIAS LATINO-AMERICANAS: DA PEDAGOGIA DO OPRIMIDO À PEDAGOGIA DECOLONIAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v47i1.70996

Resumo

Desde a década de 1960, a América Latina tem se consolidado como o cenário da mobilização de intelectuais em torno de processos pedagógicos libertários e decoloniais, comprometidos com as lutas por transformações históricas, políticas, econômicas e socioculturais. Tais intelectuais e movimentos sociais dedicados ao fomento da cultura e da educação popular caracterizam-se pela crítica aos processos colonizadores. Desde a Pedagogia do Oprimido até a Pedagogia Decolonial, um movimento de contestação das imposições ideológicas hegemônicas do capitalismo e do colonialismo excludentes tem se intensificado, gerando ressonâncias em diferentes áreas do conhecimento científico. O presente artigo busca identificar interpenetrações entre essas duas correntes de pensamento a partir dos âmbitos da cultura, da educação e da religião.

 PALAVRAS-CHAVE: Pedagogia do Oprimido. Decolonialidade. América Latina. Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Ribeiro Amaro, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil, flavia.ramaro@gmail.com

É graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Uberlândia, mestre e doutora em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

AMARO, F. R. PEDAGOGIAS LIBERTÁRIAS LATINO-AMERICANAS: DA PEDAGOGIA DO OPRIMIDO À PEDAGOGIA DECOLONIAL . Revista Inter Ação, Goiânia, v. 47, n. 1, p. 126–138, 2022. DOI: 10.5216/ia.v47i1.70996. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/70996. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos