Formação humana, identidade big-data e os desafios da educação

Autores

  • Marcia Ferreira Torres Pereira Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, marcia_torres_pereira@ufg.br
  • Sílvia Rosa da Silva Zanolla Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, silviazanollaufg@hotmail.com https://orcid.org/0000-0002-8345-5267

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v23.76314

Resumo

A reflexão crítica e autocrítica sobre a formação cultural, diante de crises mundiais de diferentes ordens, é uma exigência da realidade social e seu contexto político. Esse artigo é uma releitura da cultura moderna entre indústria cultural e cultura digital, os elementos que contribuíram para os avanços tecnológicos, formação cultural e constituição dos sujeitos. Fundamentado na teoria crítica da sociedade e na dialética negativa adorniana, questiona-se como ocorre, no contexto da realidade capitalista, a relação entre o grande salto tecnológico na cultura moderna e o potencial de humanização. O artigo é dividido em três seções e discorre sobre o conceito de progresso tecnológico, reflexões sobre a cultura moderna e as evidências do recrudescimento de uma semiformação sobre a educação.

Palavras-chave: Cultura. Educação e Teoria Crítica da Sociedade. Formação. Progresso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

01-10-2023

Como Citar

FERREIRA TORRES PEREIRA, M.; SILVA ZANOLLA, S. R. da. Formação humana, identidade big-data e os desafios da educação. Revista UFG, Goiânia, v. 23, 2023. DOI: 10.5216/revufg.v23.76314. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/76314. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Teoria Crítica, Cultura, Educação e a 'Real Política'