“Acessibiliza”: uma experiência de atendimento especializado no Ensino Superior em Goiás – Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v22.73952

Resumo

Este artigo objetiva suscitar discussões a respeito da acessibilidade do estudante com deficiência via projeto de extensão da Universidade Estadual de Goiás. Com base no direito à educação para qualquer cidadão brasileiro questiona-se, em que medida a comunidade acadêmica da UEG tem discutido, promovido a acessibilidade e o direito de aprendizagem? O estudo se deu com base em estudos entre acadêmicos e professores por documentos oficiais e ou publicações que contemplam a educação especial-inclusiva e ou atendimento educacional especializado – AEE e relata a experiência de uma professora de apoio com dois estudantes sendo, um surdo e uma de baixa visão. Os resultados apontam que o AEE é uma das principais ações institucionalizadas pela lei e de maneira tímida, com todas as adversidades, minimiza o impacto da falta de políticas públicas assertivas, ainda que a previsão legal do direito, sem mudança de atitude refletida em prática pedagógica, não garante equidade de oportunidades.

Palavras-chave: Extensão. Acessibilidade. Direitos humanos. Diversidade e inclusão.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-12-2022

Como Citar

SILVA, V. V.; SANTOS, A. F. dos; BARROS, J. M. de; SILVA, Y. F. de O. e. “Acessibiliza”: uma experiência de atendimento especializado no Ensino Superior em Goiás – Brasil. Revista UFG, Goiânia, v. 22, n. 28, 2022. DOI: 10.5216/revufg.v22.73952. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/73952. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê A inclusão na educação superior: o olhar a partir de Brasil, Moçambique e outros países