Evocações sobre formação continuada de alfabetizadores:

narrativas autobiográficas

Autores

Resumo

O presente texto resulta de nossas experiências na coordenação da formação continuada de alfabetizadores e na atuação como formadora regional nas ações de uma política nacional de formação de professores. O estudo objetiva analisar as narrativas autobiográficas como dispositivos que contribuem para a reflexão docente, para o autoconhecimento e para a formação continuada de alfabetizadores. As análises e reflexões têm como referência relatos autobiográficos de formadores e de coordenadores de formação. A abordagem desta temática, no atual contexto, é relevante por apresentar contribuições para pensarmos o protagonismo dos professores em seus processos formativos e principalmente por postular que a narrativa autobiográfica na formação de professores fomenta processos reflexivos e de autoconhecimento. As constatações do estudo evidenciam entre outros aspectos que a política de formação mobilizou conhecimentos profissionais de alfabetizadores para aprofundá-los e ampliá-los e provocou reflexões acerca da necessidade de se repensar os processos formativos de alfabetizadores e o trabalho realizado no ciclo da alfabetização. Os relatos indicam também que a política de formação oportunizou mudanças nas práticas docentes desenvolvidas na alfabetização escolar de crianças.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-12-2022

Como Citar

BARROS, M. do D. M. da R. N.; BRITO, A. E. Evocações sobre formação continuada de alfabetizadores: : narrativas autobiográficas. Revista UFG, Goiânia, v. 22, n. 28, 2022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/72985. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê O espaço auto/biográfico na cultura e na extensão universitárias