O agir militante em um projeto de extensão com a comunidade surda

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v20.66725

Resumo

Surdos usuários da Língua Brasileira de Sinais convivem com barreiras linguísticas, comunicacionais e atitudinais nos serviços de saúde de todo o Brasil. Este artigo trata-se do relato de experiência autoetnobiográfico de uma docente-pesquisadora, a partir de suas afetações e implicações, e de como elas se reverberaram na escrita de um projeto de extensão. O relato se dá em três momentos: o primeiro, aborda as afetações vividas pela pesquisadora antes e durante o desenvolvimento de uma de suas pesquisas; o segundo, discorre sobre seu agir militante e implicado com a comunidade surda para além do espaço universitário e, o terceiro, a construção coletiva que caracterizou a escrita do projeto de extensão. O processo descrito evidencia que, do início ao fim, o projeto se constituiu como uma ação dialógica entre comunidade e universidade e constatamos que foi o agir militante da docente-pesquisadora o principal mote para desencadear o processo de construção do projeto de extensão.

Palavras-chave: Surdez. Surdos. Direito à Saúde. Participação Social. Extensão Comunitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nubia Garcia Vianna, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil, nvianna@unicamp.br

Doutorado e Mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Especialização nos Moldes de Residência em Saúde Coletiva pela Universidade de Pernambuco (UPE). Aprimoramento em Fonoaudiologia na área da surdez pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Graduação em Fonoaudiologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente do Departamento de Desenvolvimento Humano e Reabilitação da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (DDHR/FCM/UNICAMP) com atuação no curso de Fonoaudiologia e no Programa de Residência Multiprofissional de Atenção à Saúde. Coordenadora do Comitê de Política de Educação do Departamento de Saúde Coletiva da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa). Experiência em gestão e análise de políticas públicas, especialmente àquelas voltadas às pessoas com deficiência.

Janice Gonçalves Temoteo Marques, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil, janicetm@unicamp.br

Graduação em Letras pela Universidade Regional do Cariri - Urca. 2.Pós-Graduação Lato Sensu no Ensino da Língua Inglesa também pela Universidade Regional do Cariri - Urca. 3.Mestrado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB. 4. Doutorado em Psicologia Experimental da Linguagem, na Universidade de São Paulo - USP, com tese intitulada "Lexicografia da Língua de Sinais Brasileira do Nordeste". 5.Proficiência em Tradução e Interpretação da Libras/Língua Portuguesa/ Libras e certificação de Proficiência no uso e no ensino da Língua de Sinais Brasileira - Libras, nível superior, pelo Ministério da Educação MEC/ INEP/UFSC. (PROLIBRAS). Atualmente é docente do Departamento de Desenvolvimento Humano e Reabilitação (DDHR), Faculdade de Ciências Médicas (FCM), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e ministra aulas sobre Libras e Educação de Surdos nos cursos de Artes visuais, Biologia, Educação Física, Enfermagem, Fonoaudiologia e Geografia. Também é docente nas disciplinas práticas de Surdez (estágios) no curso de Fonoaudiologia. Autora laureada pela Associação Brasileira de Editoras Universitárias com o 1º lugar no Prêmio ABEU 2018: Melhor Livro de Ciências Humanas, com o livro Dicionário da Língua de Sinais do Brasil: A Libras em suas mãos (3 vols. Edusp, 2017)

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

VIANNA, N. G. .; MARQUES, J. G. T. . O agir militante em um projeto de extensão com a comunidade surda. Revista UFG, Goiânia, v. 20, n. 26, 2020. DOI: 10.5216/revufg.v20.66725. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/66725. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Experiências de enriquecimento mútuo: desde e com a comunidade surda