É fato ou é fake? Notícias falsas e pós-verdade no ensino de língua portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v20.65943

Resumo

As profundas mudanças nos modos de interação e de reconstrução de conhecimentos na chamada era da pós-verdade têm respondido pela disseminação em massa das notícias falsas, as famosas fake news. Um cenário que imprime ainda maior relevância ao trabalho com essas notícias, nas aulas de línguas na educação básica, a partir de gêneros discursivos que encarnam essa prática. Neste trabalho, discutimos o modo como a coleção de Livros Didáticos de Língua Portuguesa dos anos finais do Ensino Fundamental, da Coleção utilizada na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS, aborda a temática das fake news, amparando-nos em trabalhos sobre esse fenômeno na condição da pós-verdade e em estudos sobre letramentos críticos. As análises revelam uma abordagem superficial sobre o tema, pouco engajada com os letramentos críticos e com o desenvolvimento de agência transformadora sobre problemáticas sociais e opressoras, como as decorrentes da partilha de informações fabricadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Graciela Rocha, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande, Mato Grosso Do Sul, Brasil, patrigraciro@gmail.com

Possui graduação em Letras - Português/Espanhol pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI (2003), Pós-Graduação/Especialização em ensino/Aprendizagem de Línguas-Espanhol pela UNIJUI-RS (2005), Mestrado em Linguística (bolsista CNPq - 2008) pela UFSC na área de Variação Linguística e Ensino e Doutorado na mesma área e instituição. Tem experiência em docência na Educação Básica das redes públicas estaduais e municipais no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina no Ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Língua Espanhola. Atualmente é professora Adjunta da Faculdade de Artes, Letras e Comunicação da UFMS/Campo Grande-MS atuando como colaboradora no Mestrado em Estudos de Linguagens e como professora de Língua Portuguesa, Linguística e Práticas de Ensino nos cursos de Letras Português/Espanhol (EaD e presencial) da FAALC e na Especialização em Linguística Aplicada e Ensino de Línguas. Nesse momento faz estágio pós-doutoral na UAM (México) na área de Políticas Linguísticas sob supervisão do Prof Dr Rainer Enrique Hamel.

Fabiana Biondo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande, Mato Grosso Do Sul, Brasil, fabibiondo@gmail.com

Fabiana Biondo é professora adjunta da Faculdade de Artes, Letras e Comunicação (FAALC) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em Campo Grande-MS, atuando nos Cursos de Graduação em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens (PPGEL) - linha de pesquisa Linguagens, Identidades e Ensino. Graduada e Mestra em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM); Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Realizou estágio pós-doutoral na Universidade de São Paulo (USP), sobre redes sociais, feminismo e diversidade, sob perspectiva dos letramentos críticos. Coordena o grupo de pesquisas CNPq Práticas de letramento multi/hipermidiáticas (UFMS) e participa do GT Transculturalidade, Linguagem e Educação da ANPOLL. Atua na Linguística Aplicada, principalmente com os temas letramentos hipermidiáticos/críticos; redes sociais; linguagens, cultura e identidade; gênero e sexualidade; feminismo e/na Linguística Aplicada.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Como Citar

ROCHA, P. G.; BIONDO, F. É fato ou é fake? Notícias falsas e pós-verdade no ensino de língua portuguesa. Revista UFG, Goiânia, v. 20, n. 26, 2020. DOI: 10.5216/revufg.v20.65943. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/65943. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: o discurso anti-ciência nas redes sociais na internet