Revisionismo histórico e educação para a barbárie

a verdade da "Brasil Paralelo"

Autores

  • Bruno Antonio Picoli Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, prof.brunopicoli@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-6831-2199
  • Vanessa Chitolina Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, vanessachitolina65@gmail.com
  • Roberta Guimarães Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, gmrs.roberta@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v20.64896

Resumo

O objetivo dessa reflexão é analisar as implicações educacionais e políticas do discurso revisionista e autoproclamado neutro da produtora “Brasil Paralelo” para a jovem democracia brasileira. Recorreu-se à pesquisa bibliográfica, especialmente Adorno, e à produções da empresa, especialmente o documentário “1964: o Brasil entre armas e livros”. O texto está organizado em três partes: a primeira tensiona as relações entre barbárie e educação informal e não formal, a segunda discute a pretensa neutralidade e cientificidade das produções da “Brasil Paralelo” e a terceira, estressa as implicações educacionais e políticas do discurso revisionista. Conclui que a alegada neutralidade e rigor encampam um projeto anticientífico de barbarização que corrói por dentro uma democracia frágil e instável como a brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Antonio Picoli, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, prof.brunopicoli@gmail.com

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); Professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS); Líder do Grupo de Pesquisa em Educação, Violência e Democracia (GRUPEVD); Endereço: UFFS Campus Chapecó, Rodovia SC 484 – Km 02, Fronteira Sul, CEP: 89815-899; E-mail: bruno.picoli@uffs.edu.br.

Vanessa Chitolina, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, vanessachitolina65@gmail.com

Acadêmica do curso de História da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS); Membro do Grupo de Pesquisa em Educação, Violência e Democracia (GRUPEVD); Endereço: UFFS Campus Chapecó, Rodovia SC 484 – Km 02, Fronteira Sul, CEP: 89815-899; E-mail: vanessachitolina65@gmail.com;  Fone: (49) 2049-6560.

Roberta Guimarães, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, gmrs.roberta@gmail.com

Acadêmica do curso de História da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS); Membro do Grupo de Pesquisa em Educação, Violência e Democracia (GRUPEVD); Endereço: UFFS Campus Chapecó, Rodovia SC 484 – Km 02, Fronteira Sul, CEP: 89815-899; E-mail: gmrs.roberta@gmail.com;  Fone: (49) 2049-6560.

Downloads

Publicado

2020-10-29

Como Citar

PICOLI, B. A.; CHITOLINA, V.; GUIMARÃES, R. Revisionismo histórico e educação para a barbárie: a verdade da "Brasil Paralelo". Revista UFG, Goiânia, v. 20, n. 26, 2020. DOI: 10.5216/revufg.v20.64896. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/64896. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: o discurso anti-ciência nas redes sociais na internet