Aspectos práticos acerca da interpretação da “Sonata p.a Órgão” em Dó Maior de Arouca (começo do séc. XIX)

Aspectos práticos acerca da interpretação da “Sonata p.a Órgão” em Dó Maior de Arouca (começo do séc. XIX): organologia x filologia musical

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v22.71262

Palavras-chave:

Sonata de Arouca; Órgão histórico; Tecla Portuguesa; Edição crítica; Interpretação historicamente informada.

Resumo

A “Sonata p.a Órgão” de Arouca é uma das mais significativas obras do repertório de tecla portuguesa dos alvores do século XIX, seja pela forma de utilização do órgão requerida no manuscrito, seja pelo seu interesse musical e interpretativo. A sonata se relaciona diretamente com o órgão histórico do antigo Mosteiro de Arouca (1739), instrumento excepcional no contexto da organaria ibérica e portuguesa. O presente artigo visa refletir acerca das opções editoriais e interpretativas do repertório histórico de tecla ibéria, através do enfoque específico da sonata de Arouca, à luz das fontes musicais e organológicas inerentes à sua gênese.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Brescia, Universidade NOVA de Lisboa (CESEM), Lisboa, Portugal, marcobrescia@fcsh.unl.pt

Marco Brescia é investigador da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas integrado ao Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical / Universidade NOVA de Lisboa, onde realizou um Pós-doutorado com bolsa fa FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia de Portugal. Concluiu em 2013 o seu Doutorado conjunto em Musicologia nas Universidades Paris IV - Sorbonne e NOVA de Lisboa, obtendo a classificação máxima, très honorable à l’unanimité. No mesmo ano, concluiu um Mestrado interuniversitário em Interpretação da Música Antiga / Órgão Histórico na Escola Superior de Música de Catalunya / Universitat Autónoma de Barcelona, com obtenção da prestigiosa matrícula de honor. É também Mestre em História da Arte pela Universidade Paris IV - Sorbonne (2008) e Arquiteto e Urbanista pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Brescia tem apresentado os seus trabalhos académicos nos mais prestigiados encontros científicos internacionais promovidos pela IMS, SEdeM, SPIM, Bienal International Conference on Barroque Music, etc., tendo também atuado como pianista, organista ou cravista nos mais reputados festivais internacionais de música da Itália, Espanha, Portugal, França, Inglaterra, Suíça, Alemanha, Hungria, Eslováquia, Brasil e Panamá. O seu álbum solo "Zipoli em Diamantina: obras completas de órgão" (Paraty, França, 2020) foi amplamente aclamado pelas principais revistas internacionais especializadas (Diapason, Early Music, ResMusica, Scherzo, Journal für die Orgel, Orgelnieuws, Rondo).

Downloads

Publicado

2022-06-13

Como Citar

BRESCIA, M. Aspectos práticos acerca da interpretação da “Sonata p.a Órgão” em Dó Maior de Arouca (começo do séc. XIX): Aspectos práticos acerca da interpretação da “Sonata p.a Órgão” em Dó Maior de Arouca (começo do séc. XIX): organologia x filologia musical. Revista Música Hodie, Goiânia, v. 22, 2022. DOI: 10.5216/mh.v22.71262. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/71262. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos