Esta é uma versão desatualizada publicada em 2022-01-17. Leia a versão mais recente.

Música e rádio na China Maoísta (1949-1976)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v22.68271

Palavras-chave:

Rádio, Audição Coletiva, Programas Musicais, Propaganda

Resumo

Durante os vinte e sete anos de liderança de Mao Zedong, a rádio transformou-se num dos principais meios de veiculação da ideologia e políticas do Partido Comunista Chinês (PCC), dada a dimensão do território e o nível de alfabetização da população. A estrutura centralizada do sistema de rádio e os sistemas de transmissão adotados – monitorização e sistema recetor de transmissão -, aliados à prática da audição coletiva daí resultante, permitiram ao PCC um maior controlo e manipulação sobre a informação veiculada. A música e os programas musicais radiofónicos, produzidos segundo a máxima “servir o povo”, serviam como complementos aos programas informativos, permitindo, de forma mais ou menos consciente (através da estrutura dos próprios programas, das atividades dos grupos de audição ou da audição individual passiva) uma melhor assimilação daquilo que era veiculado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Silva, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal, a2019104567@campus.fcsh.unl.pt

PhD in Artistic Studies: Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Masters in Intercultural Studies Portuguese-Chinese: Universidade do Minho: Braga, Braga, Portugal. Chinese Language and Culture Visiting Student: Nankai University, Tianjin, China. Bachelor in Oriental Languages and Cultures: Universidade do Minho, Braga, Portugal.

Luzia Rocha, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, Universidade NOVA de Lisboa, Lisboa,luzia.rocha@fcsh.unl.pt Portugal,

Luzia Rocha graduated in Musicology from NOVA University of Lisbon in 1999 where she also completed a Master degree and PhD degree in Musicology (2004, 2012). Previous to her PhD she published a 2 volumes book (with FCT financial support), 1 international book as editor, 1 chapter in 1 international book, 4 articles in 4 international peer reviewed journals, 1 catalogue entry, 3 texts in CD-ROM (international project, European Union support). Since obtaining her PhD degree (2012) she published 1 book (with FCT financial support) independently from the PhD supervisors, 3 chapters in 3 international books, 3 articles in 3 international peer reviewed journals, 1 article in a Web of Science indexed journal (accepted for publication), 6 articles in national peer reviewed journals, 3 articles in 3 international conference proceedings, 4 articles in CD-ROM (author and co-author, project financed by the Spanish government, Ministerio de Economia y Competitividad). Since her graduation Luzia Rocha supervised 7 Master Students from Universidade Lusíada/Orquestra Metropolitana de Lisboa, Master Program in Music Education. She is member of IMS study groups (Study Group on Musical Iconography and Study Group for Latin America and Caribbean - ARLAC), the Rede Temática Santos Simões at the Instituto de História de Arte (Universidade de Lisboa) and the Grupo de Iconografia Musical de la Universidad Complutense de Madrid/AEDOM. Currently Luzia Rocha is an Associated Professor at Universidade Lusíada (Lisbon, Portugal) a researcher at CESEM - The Research Centre for Aesthetics and Sociology of Music, FCSH/NOVA University of Lisbon and co-director of the Lusophone journal Glosas. In 2012 Luzia Rocha became the Director of NIM (Núcleo de Iconografia Musical)/CESEM, UNL, comprising three researchers including a Post-Doctoral student and two Masters. Luzia Rocha achieved a Merit Prize from NOVA University of Lisbon (1999) a PhD grant (FCT, 2006) and, more recently a research grant from Fundação Oriente/The Orient Foundation (2015).

Downloads

Publicado

2022-01-17

Versões

Como Citar

FERREIRA DA SILVA, S. B.; ROCHA, L. Música e rádio na China Maoísta (1949-1976). Revista Música Hodie, Goiânia, v. 22, 2022. DOI: 10.5216/mh.v22.68271. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/68271. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos