Estilo segundo um gosto nacional: os estilos italiano e francês como modelos e juízes do bom gosto da música setecentista

Autores

  • Noara Paoliello

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v16i1.43131

Resumo

Este artigo investiga as principais discussões setecentistas sobre estilos nacionais e formação do bom gosto na música a fim de compreender questões centrais para a prática musical conhecida atualmente como historicamente orientada. Para tanto, utiliza-se como referencial teórico fontes primárias do séc. XVIII assim como fontes secundárias que resgatam questões relativas ao estilo musical setecentista. É notável nas obras de autores como Mattheson (1713) e Quantz (1752) a preocupação com a formação do gosto musical – ainda que essas obras fossem tratados de música prática. Através dos textos de época, conclui-se que os conhecimentos do músico de bom gosto iam muito além das habilidades técnicas, sendo o entendimento das características de cada estilo nacional uma das habilidades fundamentais – seja no tocar ou no compor. Palavras-chave: Estilo Musical; Formação do Gosto musical; Gosto Nacional; Música Setecentista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-09-2016

Como Citar

Paoliello, N. (2016). Estilo segundo um gosto nacional: os estilos italiano e francês como modelos e juízes do bom gosto da música setecentista. Revista Música Hodie, 16(1). https://doi.org/10.5216/mh.v16i1.43131

Edição

Seção

Artigos