A improvisação livre, a construção do som e a utilização das novas tecnologias

Autores

  • Rogério Luiz Moraes Costa

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v15i1.39590

Resumo

Neste artigo são discutidas as relações entre a prática da livre improvisação e os novos paradigmas da escuta e da composição que se fundamentam na ideia de construção da sonoridade a partir da superação da ideia abstrata de nota musical. Neste contexto a improvisação livre é percebida, não somente como um sintoma, mas também como uma linha de força decisiva que contribui de uma forma específica para significativas mudanças nas práticas musicais contemporâneas que resultam da expansão e da valorização da dimensão sonora e da consequente superação das fronteiras entre som e ruído. Também, dentro deste contexto, são discutidas algumas problemáticas envolvidas na utilização de processamentos eletrônicos em tempo real com foco na questão da sonoridade, da fisicalidade e na criação de técnicas adequadas à performance. Palavras chave: improvisação livre, música contemporânea, estética da sonoridade, novas tecnologias, live electronics.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-02-01

Como Citar

LUIZ MORAES COSTA, R. A improvisação livre, a construção do som e a utilização das novas tecnologias. Música Hodie, Goiânia, v. 15, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/mh.v15i1.39590. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/39590. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos