Reconhecimento de emoções básicas em Ponteios de Guarnieri

Autores

  • Heidi Kalschne Monteiro e Regina Antunes Teixeira dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v15i1.39337

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo investigar a comunicação das emoções básicas (alegria, tristeza, calma, medo/hesitação e raiva) através da execução de trechos de Ponteios de Camargo Guarnieri para piano, com indicações explícitas desses estados emocionais. Trechos dos Ponteios 02, 26, 32, 36 e 38 foram escolhidos para comunicar raiva, calma, alegria, tristeza e medo (receio), respectivamente. A amostra envolveu estudantes de curso de teoria e percepção musical em nível de extensão (N = 59) e estudantes de música universitários (graduação e pós- -graduação) (N = 77). O método empregado foi auto-relato por escolha forçada. A coleta de dados foi feita por meio de trechos escolhidos dos Ponteios em performance ao vivo (8 sessões). Alegria e raiva foram mais facilmente reconhecidas (respectivamente 94% e 76% para estudantes universitários, por exemplo). O medo foi menos comunicado: 24% e 27%, respectivamente, para estudantes de extensão e universitários. Para os estudantes universitários, a tristeza foi mais percebida do que a calma, enquanto para os estudantes de extensão ocorreu o contrário. Houve ainda dispersão e confusão entre calma, tristeza e medo. De modo geral, as emoções que obtiveram melhores resultados em termos de comunicação foram aquelas com maior atribuição de intensidade. Andamento, densidade de notas e harmônica afetam diferentemente dependente da emoção a ser comunicada. Palavras-chave: emoções básicas; comunicação; percepção; performance musical; Guarnieri.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-02-01

Como Citar

KALSCHNE MONTEIRO E REGINA ANTUNES TEIXEIRA DOS SANTOS, H. Reconhecimento de emoções básicas em Ponteios de Guarnieri. Música Hodie, Goiânia, v. 15, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/mh.v15i1.39337. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/39337. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos