Agrupamentos Sonoros Plenos na Música de Simultaneidades Acústicas e Estruturais

Autores

  • Marcos Fernandes Pupo Nogueira

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v12i2.22650

Resumo

O presente artigo reflete sobre os conceitos de linearidade, espacialização e complexidade acústica na definição dos agrupamentos sonoros como crítica ao conceito linear da fraseologia, principalmente quando aplicado à música de textura imitativa ou de simultaneidades complexas. Toma como exemplos as obras de Bach, de Josquin des Prèz e um fragmento de “Lontano”, de Ligeti, para estudá-los em duas dimensões distintas, simultâneas e inter- relacionadas: a dimensão acústica, com toda a sua complexidade espectral, e a dimensão relacional, que estabelece a interação entre as figuras em vozes e camadas de texturas com algum tipo de simultaneidade acústica e estrutural. Palavras-chave: Complexidade acústica; Linearidade e agrupamentos sonoros; Contraponto imitativo e texturas complexas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-02-18

Como Citar

FERNANDES PUPO NOGUEIRA, M. Agrupamentos Sonoros Plenos na Música de Simultaneidades Acústicas e Estruturais. Música Hodie, Goiânia, v. 12, n. 2, 2013. DOI: 10.5216/mh.v12i2.22650. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/22650. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos