Pensar a Revolução, nos Comportamentos e Práticas Culturais Associadas ao Teatro de São Carlos entre o Fim do Estado Novo e os Primeiros Anos da Democracia em Portugal

Autores

  • Paula Gomes Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v12i2.22566

Resumo

Neste artigo problematizo aspectos da negociação simbólica manifestada nas práticas culturais e nos comportamentos associadas ao Teatro de São Carlos entre o final do Estado Novo e o período que sucede a Revolução de 25 de Abril de 1974; visando dimensões estéticas e ideológicas de revolução e reação, submissão e transgressão, fidelidade e desobediência aos cânones. Inquire-se, neste contexto, o modo como esta negociação participa na reconfiguração das sociabilidades e na renovação dos paradigmas da administração do conhecimento e da cultura num quadro revolucionário. Palavras-chave: Teatro de São Carlos; Revolução nos comportamentos e práticas culturais; Ideologia e políticas culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-02-15

Como Citar

GOMES RIBEIRO, P. Pensar a Revolução, nos Comportamentos e Práticas Culturais Associadas ao Teatro de São Carlos entre o Fim do Estado Novo e os Primeiros Anos da Democracia em Portugal. Música Hodie, Goiânia, v. 12, n. 2, 2013. DOI: 10.5216/mh.v12i2.22566. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/22566. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos