PAULISTANA Nº 1 PARA PIANO DE CLAUDIO SANTORO: ELEMENTOS NACIONALISTAS E SOCIAL REALISTAS

Autores

  • Ernesto Hartmann

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v10i2.15970

Resumo

O Presente artigo propõe uma análise da Paulistana nº 1, para piano, de Claudio Santoro contextualizando-a no universo estético-ideológico deste compositor. A participação de Santoro no II Congresso dos compositores progressistas e críticos musicais, realizado em Praga no ano de 1948, foi de fundamental importância para a adoção de uma linguagem “nacionalista” cujos elementos constituintes transcendem a mera utilização da apropriação de material folclórico. A partir das premissas do Congresso, abordadas pela perspectiva Zhdanovista, descrevem-se os procedimentos composicionais adotados pelo compositor para contemplar a sua nova proposta estética, característica da sua fase nacionalista (1950-1960).

Palavras chave: Claudio Santoro; Paulistanas para Piano; Nacionalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-10-17

Como Citar

HARTMANN, E. PAULISTANA Nº 1 PARA PIANO DE CLAUDIO SANTORO: ELEMENTOS NACIONALISTAS E SOCIAL REALISTAS. Música Hodie, Goiânia, v. 10, n. 2, 2011. DOI: 10.5216/mh.v10i2.15970. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/15970. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos