O PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA E A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA PROPOSTA CONTRA-HEGEMÔNICA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v47i2.72031

Resumo

Este artigo tem por objetivo refletir sobre as contradições do Programa Residência Pedagógica (RP) em meio à epistemologia da prática imposta pelo Edital CAPES Nº 06/2018, bem como analisar a Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal do Pará, Campus do Tocantins/Cametá, como uma política de formação na perspectiva contra-hegemônica. A metodologia se ancorou em estudos bibliográficos, documentais e pesquisa de campo. Os resultados apontaram que a vivência efetiva dos estudantes em processo de formação, do curso em análise, procurou formá-los a fim de atuar nas escolas do campo, implementando um currículo de perspectiva interdisciplinar, centrado na vida e no trabalho, em que os conhecimentos socioculturais e científicos estejam em permanente diálogo.

PALAVRAS-CHAVE: Política Educacional. Formação Docente. Escola do Campo. Ensino Superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleiciane do Rosário Moraes Souza, Universidade Federal do Pará (UFPA), Cametá, Pará, Brasil, cleicianemoraes8@gmail.com

Graduada em Licenciatura em Educação do Campo pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Estudante da Especialização em Práticas Pedagógicas na Educação do Campo na UFPA. Atua desde outubro de 2021 como articuladora local da Cáritas diocesana de Cametá, principalmente no projeto em defesa dos territórios quilombolas. É integrante do Movimento de Atingidos por Barragens (MAB).

Hellen do Socorro de Araújo Silva, Universidade Federal do Pará (UFPA), Cametá, Pará, Brasil, hellen.ufpa@gmail.com

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). É professora da Faculdade de Educação do Campo e do Programa de Pós-Graduação em Educação e Cultura da UFPA, Campus do Tocantins - Cametá. Compõe o PROCAD-AM, é vice-líder do Grupo de Estudos em Educação do Campo, Agroecologia e Economia Solidária (GESOL) e pesquisadora do Grupo de Estudos em Educação do Campo na Amazônia (GEPERUAZ).

Tiago Corrêa Saboia, Universidade Federal do Pará (UFPA), Cametá, Pará, Brasil, tsaboia@ufpa.br

Professor da Faculdade de Educação do Campo (FECAMPO) do Campus Universitário do Tocantins (CUNTINS/Cametá) da Universidade Federal do Pará. Atualmente é Doutorando do Programa de Pós-graduação em Agriculturas Amazônicas (PPGAA) do Instituto Amazônico de Agriculturas Familiares (INEAF-UFPA) sob orientação do Prof. Dr. Flávio Barros. Possui Mestrado em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-graduação do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) da Universidade Federal do Pará (2012) e graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará (2009).

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

SOUZA, C. do R. M. .; SILVA, H. do S. de A. .; SABOIA, T. C. . O PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA E A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA PROPOSTA CONTRA-HEGEMÔNICA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 47, n. 2, p. 507–522, 2022. DOI: 10.5216/ia.v47i2.72031. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/72031. Acesso em: 6 dez. 2022.