QUESTÕES RACIAIS E PRODUÇÃO DE SUJEITOS NA EXPERIÊNCIA DISCENTE NO CURSO DE PEDAGOGIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v47i2.68433

Resumo

Uma quantidade significativa dos estudantes de Pedagogia da Universidade Federal de Goiás se autodeclara negra em um campus predominantemente branco. Devido a essa característica, o presente estudo se esforça no sentido de reconhecer quem são esses estudantes negros, quais as motivações para a escolha do curso, suas pretensões profissionais e, mais ainda, busca compreender as trajetórias acadêmicas através das categorias "autoestima", "ressignificação" e "cuidado". Os dados empíricos foram coletados através de pesquisas qualitativas com graduandas (os) autodeclaradas (os) negras (os), com enfoque nas experiências dos sujeitos, no intuito de contribuir para os estudos acerca do significado de ser negro em um ambiente educacional superior.

 PALAVRAS-CHAVE: Estudantes. Negras (os). Educação. Ressignificação. Cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Silva Leite, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, analeitt7@gmail.com

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e professora no Instituto Educacional Emmanuel.

Downloads

Publicado

2022-10-03

Como Citar

LEITE, A. M. S. . QUESTÕES RACIAIS E PRODUÇÃO DE SUJEITOS NA EXPERIÊNCIA DISCENTE NO CURSO DE PEDAGOGIA. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 47, n. 2, p. 859–873, 2022. DOI: 10.5216/ia.v47i2.68433. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/68433. Acesso em: 30 nov. 2022.