CONTRIBUIÇÕES DO MÉTODO DE PAULO FREIRE À ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS CEGOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v46ied.especial.68395

Resumo

O estudo analisa as contribuições do método de Paulo Freire à alfabetização de adultos cegos, considerando-se os seus princípios de emancipação e superação da leitura e da escrita para uma educação inclusiva e libertadora. De abordagem qualitativa, utiliza o estudo de caso como estratégia conduzida em uma instituição especializada na área da deficiência visual. Os participantes da pesquisa foram dois estudantes cegos. Para a coleta de dados, usaram-se registros em diário de campo, assim como o registro fotográfico. As atividades foram planejadas a partir do método de Paulo Freire, adaptado para o ensino do código braille. Os resultados revelam que a utilização desse método contribuiu com o processo de alfabetização dos participantes cegos, na escrita e na leitura do código braille, bem como no processo de suas conscientizações, a lhes possibilitar a compreensão nos contextos social, histórico e político para novas descobertas e leituras de mundo.

 PALAVRAS-CHAVE: Método de Paulo Freire. Alfabetização em Braille. Deficiência Visual. Inclusão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliziane de Fátima Alvaristo, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Guarapuava, Paraná, Brasil, elizianealvaristo@unicentro.br

Doutoranda no programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Atualmente, é professora no Departamento de Pedagogia da (UNICENTRO); Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE-DV) e pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC), Guarapuava/PR.

Elsa Midori Shimazaki, Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE), Presidente Prudente, São Paulo, Brasil, emshimazaki@uem.br

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP); mestre em Educação pela Universidade de Campinas (UNICAMP); graduada em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari; pós-doutorada em Letras pela Universidade Estadual de Maringá. Atualmente, é professora dos programas de pós-graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá e da Universidade do Oeste Paulista.

Lucia Virginia Mamcasz Viginheski, Centro Universitário UniGuairacá (UniGuairacá), Guarapuava, Paraná, Brasil, lucia.virginia@uniguairaca.edu.br

Doutora em Ensino de Ciência e Tecnologia pela Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR); graduada em Matemática pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO. Atualmente, é professora dos programas de Pós-Graduação em Promoção da Saúde (UniGuairacá) e Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática (UEPG) e no Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE-DV/SEED).

Jamile Santinello, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Guarapuava, Paraná, Brasil, jamile@unicentro.br

Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, é professora no programa de Pós-Graduação em Educação e no Departamento de Pedagogia da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).  

Downloads

Publicado

2021-10-05

Como Citar

ALVARISTO, E. de F. .; SHIMAZAKI, E. M.; VIGINHESKI, L. V. M.; SANTINELLO, J. CONTRIBUIÇÕES DO MÉTODO DE PAULO FREIRE À ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS CEGOS. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 46, n. ed.especial, p. 1114–1131, 2021. DOI: 10.5216/ia.v46ied.especial.68395. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/68395. Acesso em: 8 dez. 2022.