Cidadania eTICs: uma relação anacrônica?

Autores

  • Marcos Marinho M. Queiroz Universidade Federal de Goiás
  • Magno Medeiros Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/38756

Palavras-chave:

Cidadania. TICs. Internet.

Resumo

Este artigo tem como proposta inicial realizar um levantamento conceitual sobre cidadania, bem como uma análise da evolução das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) e suas potenciais utilizações no tocante a otimizar o processo de apropriação desta cidadania por parte dos indivíduos viventes na polis. Por meio de uma pesquisa guiada pelo método de revisão bibliográfica aliou-se conceitos clássicos e modernos sobre a temática em questão, plotando-os na realidade hodierna em que a tecnologia atua fortemente nos processos de significação e ressignificação do status do cidadão e da própria cidadania, tema desta pesquisa. De posse dos conceitos e da análise contextual da relação TIC’s – Cidadania alcançou-se, neste estudo, uma perspectiva de desnivelamento entre ambos, onde o anacronismo se faz presente e exige medidas que sejam capazes de corrigir tal assincronicidade. Por fim o presente texto reforça a necessidade de se repensar o processo educacional vigente nesta sociedade, a fim de que os indivíduos sejam preparados para dominar as tecnologias em busca de alcançar a condição de cidadão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Marinho M. Queiroz, Universidade Federal de Goiás

Mestrando do PPGCOM-UFG. Professor na graduação em Publicidade e Propaganda nas instituições FIC-UFG e PUC-GO. Bolsista FAPEG

Magno Medeiros, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo - USP. Professor associado da Universidade Federal de Goiás e atual diretor da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC/UFG).

Referências

BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Comunicação Social. Pesquisa brasileira de mídia 2015: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Brasília : Secom, 2014. Disponível em: <http://www.secom.gov.br/atuacao/pesquisa/lista-de-pesquisas-quantitativas-e-qualitativas-de-contratos-atuais/pesquisa-brasileira-de-midia-pbm-2015.pdf>. Acesso em: 10/09/15.

CANCLINI, N. G. Consumidores e cidadãos. 7. ed. Rio de Janeiro: Editora URFJ, 2008.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 3. ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 2002.

CASTELLS, M.; CARDOSO, G. (Orgs.). A Sociedade em rede: do conhecimento à ação política. Portugal: Imprensa nacional; Casa da moeda, 2006.

CORTINA, Adela. Cidadãos do mundo: uma teoria da cidadania. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

DURÁN BARBA, J.; SANTIAGO, N. Mujer, sexualidade, internet y política: los nuevos electores latinoamericanos. México: FCE, 2006.

LEVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: ZAHAR Editores, 1967.

MCLUHAN, M. Os meios de comunicação como extensões do homem. 18. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

MEKSENAS, P. Cidadania, poder e comunicação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

NERY, V. C. A.; TEMER, A. C. R. P. Para entender as teorias da comunicação. EDUFU: Uberlândia, 2009.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

RIBEIRO, R. J. Hobbes: o medo e a esperança. In. WEFFORT, F. C. (Org.). Os clássicos da política. 14. ed. São Paulo: Ática, 2006.

SANTOS, Goiamérico Felício Carneiro dos. Ágora virtual: Espaços de Emancipação Política, ou Lugares de Consumo?. In: BONILHA, Kátia Raquel; SATLER, Lara Lima (Org.). Século XXI: a Publicidade sem fronteiras? Goiânia: Editora Puc Goiás, 2011. p. 175-192.

WOLTON, D. Internet, e depois? Uma teoria crítica das novas mídias. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2012.

Downloads

Publicado

2015-12-04

Como Citar

QUEIROZ, M. M. M.; MEDEIROS, M. Cidadania eTICs: uma relação anacrônica?. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 18, n. 2, p. 163–179, 2015. DOI: 10.5216/38756. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/38756. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Caderno Casadinho Procad UFG - UFRJ