Outros olhares sobre o uso da imagem em pesquisa qualitativa: o exercício com a interpretação de Didi Huberman

Autores

  • Vania Lucia Costa Alves Souza Universidade de Brasília
  • Vânia Olária Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.5216/31812

Palavras-chave:

Imagem. Interpretação. Pesquisa qualitativa

Resumo

O trabalho de investigação utilizando imagens como fontes de pesquisa requer o uso de métodos de abordagem que considerem a imagem, o seu simbolismo, o seu contexto histórico, as suas virtualidades e não saberes. Em nossos estudos, consideramos que existem várias possibilidades para a interpretação da imagem, mas que algumas também podem levar o pesquisador a sérios equívocos, pois a sua interpretação pode distanciar-se do contexto histórico presente na imagem; ou podem considerar equivocadamente que os significados da imagem são redutíveis ao método. O objetivo deste artigo é de analisar as interpretações e métodos de análise da imagem de Erwin Panofsky, Pierre Francastel e George Didi-Huberman e refletir sobre as potencialidades do uso da imagem como elemento da pesquisa social em nossas investigações. Com um exercício de análise da imagem, utilizando a interpretação de Didi-Huberman, ressaltamos a compreensão das noções e do preconizado por esse autor, para a análise da imagem e as suas possibilidades na pesquisa qualitativa.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vania Lucia Costa Alves Souza, Universidade de Brasília

Professora de Geografia do Ensino Médio da Secretaria de Educação do Distrito Federal. Atualmente estudante de Doutorado em Ensino de Geografia, Departamento de Geografia, Universidade de Brasilia.

Vânia Olária, Universidade de Brasília

Professora de artes da Secretaria de Educação de Goiás. Atualmente é estudante de Doutorado da Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, UnB

Referências

BASARAB, Nicolescu. Educação e transdisciplinaridade. Brasília: UNESCO, 2000.

DIDI–HUBERMAN, Georges. O que vemos e o que nos olha. Campinas: Editora 34, 1998.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Confronting Images: questioning the Ends of a Certain History of Art.Pennsylvania: LesEditions de Minuit, 2004.

BRASIL. Portaria n.° 1140, de 22 de novembro de 2013. Institui o Pacto Nacional pelo Fortalecimentodo EnsinoMédio e define suasdiretrizesgerais, forma, condições e critériospara a concessão de bolsas de estudo e pesquisano âmbito do ensinomédio público,nas redes estaduais e distrital de educação.Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 dez. 2013. Seção 1, p. 24-25.

BRASÍLIA, DF. Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (SEEDF). Currículo emMovimento da Educação Básica. SEEDF; GDF, Brasília, 2014. Disponívelem: <http://www.se.df.gov.br/materiais-pedagogicos/curriculoemmovimento.html>. Acessoem: 13 nov. 2014.

DÜRER, ALBRECHT. São Jerônimoemseuestúdio. 1521. Pintura.

FRANCASTEL, Pierre, Pintura e Sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

GINZBURG, Carlo.Mitos, Emblemas, Sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

HERNANDEZ, Aline; SCARPARO, Helena. Silêncios e Saberes Guardados nas Imagens do Pré-Golpe de 1964. Revista de Psicologia Política, São Paulo, v.8, n. 15, abril de 2009. Disponível em: <http://www.fafich.ufmg.br/~psicopol/seer/ojs/viewarticle. php?Id=139>. Acesso em: 01 de nov. de 2013.

PANOFSKY, Erwin. A perspectiva como forma simbólica. In:____. História da arte italiana: da Antiguidade a Duccio. Tradução de Wilma De Kantinszky. São Paulo: Cosac e Naify, 2003.

SCHIMITT, J. O corpo das imagens: ensaios sobre a cultura visual na Idade Média. São Paulo: Edusp, 2007.

WELLER, Wivian; BASSALO, Lucélia de M. Braga. Imagens: documentos de visões de mundo. Sociologias, Porto Alegre, ano 13, n. 28, set./dez. 2011.

Downloads

Publicado

2014-12-15

Como Citar

SOUZA, V. L. C. A.; OLÁRIA, V. Outros olhares sobre o uso da imagem em pesquisa qualitativa: o exercício com a interpretação de Didi Huberman. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 17, n. 2, p. 06–22, 2014. DOI: 10.5216/31812. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/31812. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos