Infecção natural de Triatomíneos (Hemiptera: Reduviidae) por Tripanosamatídeos no município de Ouro Preto do Oeste, Rondônia, Brasil: uma abordagem multidisciplinar

Autores

  • Dionatas Ulises de Oliveira Meneguetti Faculdade de Educação e Meio Ambiente (FAEMA)
  • Renato Moreira Rosa

Palavras-chave:

Triatomíneos, tripanosomatídeos, doença de Chagas.

Resumo

Os triatomíneos são insetos largamente difundidos nas Américas, encontrados desde o sul dos Estados Unidos até o sul da Argentina. São de grande importância, pois podem transmitir a Tripanossomíase americana, também denominada doença de Chagas. O presente estudo objetivou avaliar o panorama da infecção de triatomíneos por tripanosomatídeos e sua presença em reservatórios diversos na região do município de Ouro Preto do Oeste, Rondônia, com o intuito de criar plataforma geradora de subsidio para atenção primaria à saúde, e desenvolver novas estratégias de educação popular para a profilaxia da doença de chagas na região.  A pesquisa ocorreu em dois ambientes distintos, um de mata primária e outro de área de pastagem. Foram realizadas duas coletas mensais, uma em cada ambiente, no período de fevereiro de 2009 a janeiro de 2010, totalizando 24 coletas. Em cada coleta foi dissecada uma O. speciosa (babaçu) na busca de triatomíneos. Os triatomíneos coletados foram separados de acordo com seu estágio ninfal, sendo encaminhados em caixas térmicas, com temperatura ambiente para o laboratório de microscopia do Centro Universitário Luterano de Ji-paraná, onde foram preparados esfregaços em lâminas e lamínulas do conteúdo do tubo digestivo dos triatomínios, diluídos em soro fisiológico e examinados com ocular 16x e objetiva 40x. Os exames foram minuciosos, abrangendo toda a lamínula, sendo positivo quando se encontrou o parasito com sua forma alongada e flagelo móvel. Posteriormente os esfregaços foram fixados em metanol, corados com Giemsa e observados novamente em microscopia óptica, para confirmação de positividade quanto à presença dos tripanosomatídeos. A maior ocorrência de triatomíneos foi na área de pastagem, no período chuvoso e no estágio ninfa-3, com maior positividade em adulto com índice acima de 70% de contaminação para tripanosomatídeos. Constatou-se que o panorama da infecção de triatomíneos por tripanosomatídeos no município de Ouro Preto do Oeste – Rondônia é preocupante, devido a altos índices de contaminação dos mesmos, e a sua presença cada vez mais constante em residências. O estudo revelou que boa parte da população e das autoridades em saúde do estado desconhecia a existência dos triatomíneos. A pesquisa teve uma grande repercussão, sendo lançadas diversas notas em jornais de noticia e graças a essa divulgação, a Secretaria Estadual de Saúde, viabilizou a distribuição do guia de identificação de triatomíneos do estado de Rondônia, sendo criada a primeira estratégia de educação popular para a profilaxia da doença de Chagas na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dionatas Ulises de Oliveira Meneguetti, Faculdade de Educação e Meio Ambiente (FAEMA)

Biólogo

Mestre em Genética e Toxicologia Aplicada

Downloads

Publicado

21-12-2011

Como Citar

MENEGUETTI, D. U. de O.; ROSA, R. M. Infecção natural de Triatomíneos (Hemiptera: Reduviidae) por Tripanosamatídeos no município de Ouro Preto do Oeste, Rondônia, Brasil: uma abordagem multidisciplinar. Revista de Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, Goiânia, v. 8, n. 1, p. 55–56, 2011. Disponível em: https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/15838. Acesso em: 12 abr. 2024.

Edição

Seção

Resumo de Tese