A malato sintase de Paracoccidioides brasiliensis é uma proteína de superfície celular e está relacionada com a adesão do fungo à matriz extracelular e interação com a célula

Autores

  • Benedito Rodrigues da Silva Neto

Palavras-chave:

Adesina, ciclo do glioxalato, malato sintase, Paracoccidioides brasiliensis

Resumo

O fungo patogênico Paracoccidioides brasiliensis é o agente causador da paracoccidioidomicose (PCM). Essa é uma micose pulmonar adquirida pela  inalação de propágulos que podem se disseminar para vários órgãos e tecidos, conduzindo à forma grave da doença. A adesão às células hospedeiras e a sua invasão são passos essenciais para a internalização e a disseminação de agentes patógenos. Dentro do hospedeiro, P. brasiliensis pode usar o ciclo do glioxalato para sobrevivência intracelular. No presente estudo, evidenciou-se que a malato sintase de P. brasiliensis (PbMLS) está localizada na superfície celular do fungo e é secretada. PbMLS foi expressa em Escherichia coli, sendo obtido o anticorpo policlonal contra esta proteína. Utilizando microscopia laser confocal, detectou-se PbMLS no citoplasma e na parede das células-mãe, mas principalmente nas células broto leveduriformes de P. brasiliensis. Por meio de citometria de fluxo, verificou-se que PbMLSr e seu respectivo anticorpo inibiram a interação de P. brasiliensis com a cultura de células epiteliais A549 in vitro. Os resultados mostraram a presença de PbMLS no filtrado de cultura de células leveduriformes (fase parasitária), sua localização superficial em P. brasiliensis e sua ligação aos componentes de matriz extracelular nos ensaios de Far-Western e ELISA e nas membranas das células A549. A redução da aderência de P. brasiliensis às celulas A549 por anti-PbMLSr sugere que PbMLS possa contribuir para ativa interação do fungo e progressão da doença em humanos por intermédio da habilidade de atuar como adesina. Essas observações indicam que PbMLS associada à parede celular pode mediar a ligação de células fúngicas ao hospedeiro, assim contribuindo para a adesão do fungo aos tecidos do hospedeiro e para a disseminação da infecção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-12-2010

Como Citar

NETO, B. R. da S. A malato sintase de Paracoccidioides brasiliensis é uma proteína de superfície celular e está relacionada com a adesão do fungo à matriz extracelular e interação com a célula. Revista de Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, Goiânia, v. 6, n. 1, p. 85–86, 2010. Disponível em: https://revistas.ufg.br/RBN/article/view/12635. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Resumo de Tese