Investimento mínimo para o desenvolvimento máximo da educação brasileira

Autores

  • Jorge Marcos Ramos Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil, educacao.ramos@gmail.com
  • Sérgio Marcus Nogueira Tavares Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), São Paulo, São Paulo, Brasil, smntasp@hotmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v33i2.74876

Resumo

O objetivo dessa pesquisa foi apresentar o percurso histórico em relação ao financiamento da educação como
uma vinculação de percentuais mínimos dos recursos tributários. Foi utilizado da análise documental, visando
discorrer sobre o financiamento público da educação. Foram considerados artigos, teses, livros e documentos
legais escritos em português, inglês e espanhol. A vinculação de recursos públicos para a área da educação,
assumiu valores percentuais crescentes sendo que essa maior vinculação foi observada na promulgação da atual CF de 1988. Mesmo com os avanços em relação aos investimentos públicos destinados à educação, para se atingir os desafios propostos pelo II PNE é necessário maior aporte de recursos financeiros, tendo em vista que o nosso sistema educacional apresenta muitas fragilidades. O orçamento do MEC constantemente vem
sofrendo redução evidenciando com isso a estagnação dos investimentos na Educação Básica desde 2012,
demonstrando claramente que a União está muito mais preocupada com o pagamento dos juros e amortização da dívida pública do que com o desenvolvimento da educação do País.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Marcos Ramos, Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil, educacao.ramos@gmail.com

Doutor em Educação pela Universidade Metodista de São Paulo – UMESP; Professor Universitário; Professor da rede pública de educação básica. 

Sérgio Marcus Nogueira Tavares, Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), São Paulo, São Paulo, Brasil, smntasp@hotmail.com

Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCar; Professor do Programa de Pósgraduação Stricto Senso em Educação da Universidade Metodista de São Paulo – UMESP.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

RAMOS, J. M.; TAVARES, S. M. N. Investimento mínimo para o desenvolvimento máximo da educação brasileira. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 33, n. 2, p. 264–283, 2022. DOI: 10.5216/rp.v33i2.74876. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/74876. Acesso em: 25 maio. 2024.