Atividades educativas não presenciais na pandemia: experimentando a casa e ampliando o universo cultural da criança

Autores

  • Bruna Pereira Carneiro Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, brunacarneiro12@gmail.com
  • Poliana Carvalho Martins Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, polianacm@ufg.br
  • Rebeca Cardoso de Andrade Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, rebeksandrade18@gmail.com
  • Vanessa Roberta Santos Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, vanessaroberta_1818@hotmail.com
  • Yasmin Gonçalves e Lyra Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, yasminlyra@ufg.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v33i2.74859

Resumo

Este trabalho expõe uma experiência mediada pelas tecnologias na educação infantil realizada no
DEI/CAPAE/UFG no ano letivo de 2020. A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica, análise de
documentos e observação participante. Os dados foram coletados nos planejamentos, anotações dos professores e
pela observação-participante. O estudo apresenta a proposta pedagógica desenvolvida, sua metodologia, as
plataformas digitais, as temáticas trabalhadas e os materiais. Reflete sobre a contradição de atender às
necessidades educativas das crianças durante a pandemia da COVID 19 e a certeza de que o ensino remoto não se
adequa às especificidades pedagógicas na Educação Infantil. Propõe uma alternativa: as atividades educativas
não-presencias de cunho optativo e visando vínculos com as crianças e famílias. Considera que trabalho docente
no ciberespaço traz uma ruptura entre o par dialético planejamento/execução, pois quem executa as propostas são
os familiares. Essa cisão afeta outro par dialético: objetivo/avaliação fazendo com que os professores tenham
dificuldade de compreender o que a criança aprendeu e torna o processo de avaliação um desafio. Conclui que o
impedimento de estar com elas, e ainda assim, ter de criar vínculos com elas, proporcionar-lhes aprendizagem e
conhecimento, trouxe uma condição inédita de docência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Pereira Carneiro, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, brunacarneiro12@gmail.com

Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás. 

Poliana Carvalho Martins, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, polianacm@ufg.br

Graduada em Educação Física pela FEFD/UFG, Especialista em Educação Infantil pela FE/UFG, Mestre no
Ensino na Educação Básica pelo CEPAE/UFG, técnica em assuntos educacionais no Departamento de Educação Infantil do CEPAE/UFG.

Rebeca Cardoso de Andrade, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, rebeksandrade18@gmail.com

Graduada em Pedagogia pela FE/UFG, Especialista em Educação Infantil, Alfabetização e Letramento pela
FABEC BRASIL.

Vanessa Roberta Santos, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, vanessaroberta_1818@hotmail.com

Graduanda do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás.

Yasmin Gonçalves e Lyra, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, yasminlyra@ufg.br

Graduada em Artes Cênicas, Especialista em Arte/Educação Intermidiática, Mestranda em Artes da Cena, todos pela EMAC/UFG. Atriz e professora no Departamento de Educação Infantil do CEPAE/UFG.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

CARNEIRO, B. P.; MARTINS, P. C.; ANDRADE, R. C. de; SANTOS, V. R.; GONÇALVES E LYRA, Y. Atividades educativas não presenciais na pandemia: experimentando a casa e ampliando o universo cultural da criança. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 33, n. 2, p. 29–45, 2022. DOI: 10.5216/rp.v33i2.74859. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/74859. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Experiências didático-pedagógicas no estágio supervisionado na educação infantil