Trabalho, infâncias e crianças no contexto narrativo campo-costeiro à luz da linguagem bakhtiniana

Autores

  • Ana Paula Vieira e Souza Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, Pará, Brasil, paulladesa@gmail.com
  • Carmem Terezinha Baumgartner Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Cascavel, Paraná, Brasil, carmen.baumgartner@yahoo.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v32i2.70892

Resumo

Esta pesquisa é sobre as discursividades de crianças matriculadas em Escolas do entorno da Reserva Extrativista Marinha Taperaçu-Campo1 no acesso do trabalho socialmente necessário e manifestação do trabalho infantil. O método do materialismo histórico-dialético e análise de discursividade do discurso com a participação de crianças de 07 a 11 anos. A área de estudo são Escolas de comunidades pesqueiras do Município de Bragança, Estado do Pará. Os resultados mostram a estreita relação de culturas infantis no brincar, em atividades de caráter educativo no espaço do manguezal. As crianças enunciam a valoração da Escola, do trabalho da pesca artesanal nas interações sociais e a presença do trabalho infantil como fenômeno social limitador do aprendizado escolar. Conclui-se que a linguagem é constituidora dos discursos de crianças e manifesta as experiências no trabalho da pesca artesanal e no acesso ao trabalho como princípio educativo. As infâncias assumem significações diferentes entre brincar e trabalho precoce na Amazônia bragantina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Vieira e Souza, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, Pará, Brasil, paulladesa@gmail.com

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Pará e Pós-Doutora em Letras na Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Professora na Linha Políticas Públicas Educacionais pela Universidade Federal do Pará. Coordena a Linha do GEPTE Trabalho e Infâncias em Bragança-PA. Vice-Líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-brasileiros (NEAB/UFPA). Orcid: https://orcid.org/0000-0003-3340-1866.

Carmem Terezinha Baumgartner, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Cascavel, Paraná, Brasil, carmen.baumgartner@yahoo.com.br

Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina - UEL/PR. Docente do Curso de Letras, do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras - Mestrado Profissional/PROFLETRAS, e do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras/PPGL, na Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-2608-2636.

Downloads

Publicado

2021-11-18

Como Citar

VIEIRA E SOUZA, A. P.; BAUMGARTNER, C. T. Trabalho, infâncias e crianças no contexto narrativo campo-costeiro à luz da linguagem bakhtiniana. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 32, n. 2, p. 76–91, 2021. DOI: 10.5216/rp.v32i2.70892. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/70892. Acesso em: 8 ago. 2022.