Gramática da Fantasia: a criatividade e a produção de textos na EJA

Autores

  • Daniela Porte Colégio Santo Inácio (RJ).

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v29i2.57113

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar os desdobramentos de uma experiência de produção de textos na aula de português para educação de jovens e adultos, analisando, especificamente, marcas de oralidade que, de modo comum, manifestam-se no texto escrito dos estudantes no nível básico. Trata-se de atividade retirada do livro Gramática da Fantasia, de Gianni Rodari (1982), obra que, ainda hoje, mostra-se bastante pertinente para o trabalho com língua materna centrado no exercício da linguagem e não apenas na prática metalinguística. O referencial teórico para análise dos resultados ancora-se nos estudos funcionalistas de Eugenio Coseriu (1980), mas também conta com as orientações da linguística aplicada ao ensino de língua materna de UCHÔA (2007), AZEREDO (2007) e BITTENCOURT (2010). Nesse sentido, a atividade propicia a reflexão sobre a importância da criatividade, tomada como propriedade essencial da própria linguagem, fundamental ao desenvolvimento da competência linguística discente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Porte, Colégio Santo Inácio (RJ).

Professora de Língua Portuguesa e Literatura e coordenadora da área do Curso Noturno do Colégio Santo Inácio (RJ).

Downloads

Publicado

2019-02-08

Como Citar

PORTE, D. Gramática da Fantasia: a criatividade e a produção de textos na EJA. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 29, n. 2, 2019. DOI: 10.5216/rp.v29i2.57113. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/57113. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: O ensino de Língua Portuguesa e Literatura na escola: caminhos e possibilidades nos estudos de linguagem