Os conceitos de tempo, duração e ritmo de Bergson na música popular brasileira: uma análise da canção Oração ao Tempo, de Caetano Veloso

Autores

  • Herom Vargas Universidade Metodista de São Paulo - UMESP
  • Regina Rossetti Universidade Municipal de São Caetano do Sul - USCS

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v17i2.47952

Palavras-chave:

Henri Bergson, tempo, duração, ritmo, Oração ao Tempo, Caetano Veloso

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir os conceitos sobre tempo, duração e ritmo do filósofo francês Henri Bergson (1859-1941) e aplica-los aos estudos sobre a música popular brasileira. A canção popular será tratada aqui enquanto objeto complexo composto pelas relações entre música, letra e performance. Para este propósito, desenvolvemos os conceitos sobre tempo, duração e ritmo do filósofo e analisamos, a partir dessas referências, a canção Oração ao tempo, do compositor brasileiro Caetano Veloso, segunda faixa do álbum Cinema Transcendental (Philips/PolyGram), lançado em 1979.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Herom Vargas, Universidade Metodista de São Paulo - UMESP

Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo - UMESP

Regina Rossetti, Universidade Municipal de São Caetano do Sul - USCS

Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul - USCS e da Universidade Palista - UNIP. Possui Doutorado e Pós-doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. É editora da revista Comunicação & Inovação.

Referências

BERGSON, Henri. A evolução criadora. Rio de Janeiro: Opera Mundi, 2005. 398p.

BERGSON, Henri. As duas fontes da moral e da religião. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. 264 p.

BERGSON, Henri. Ensaio sobre os dados imediatos da consciência. Lisboa: Edições 70, 1988. 168 p.

BERGSON, Henri. Matéria e memória. São Paulo: Martins Fontes, 1990. 204 p.

BERGSON, Henri. O pensamento e o movente. São Paulo: Martins Fontes, 2006. 297 p.

BERGSON, Henri. O riso. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.105 p.

LEOPOLDO E SILVA, Franklin. Bergson: intuição e discurso filosófico. São Paulo: Loyola, 2004. 357 p.

POUND, Ezra. A arte da poesia – ensaios escolhidos. 2. ed. São Paulo: Cultrix, 1988. 164 p.

SEINCMAN, Eduardo. Do tempo musical. São Paulo: Via Lettera, 2001. 176 p.

SOCHA, Eduardo. Duração bergsoniana e continuidade narrativa em “La Mer”. In: DUARTE, Rodrigo; SAFATLE, Vladimir (org). Ensaios sobre música e filosofia. São Paulo: Humanitas, 2007, p. 223-236.

TROTTA, Felipe. Gêneros musicais e sonoridade: construindo uma ferramenta de análise. Ícone. Recife. v. 10, n. 2, p. 1-12, dez./2008. Disponível em: http://revistaicone.hipermoderno.com.br/index.php/icone/article/view/23/29

VELOSO, Caetano. Cinema Transcendental. CD 838 289-2. Philips, 1989.

Downloads

Publicado

2018-05-22

Como Citar

VARGAS, H.; ROSSETTI, R. Os conceitos de tempo, duração e ritmo de Bergson na música popular brasileira: uma análise da canção Oração ao Tempo, de Caetano Veloso. Música Hodie, Goiânia, v. 17, n. 2, p. 150–160, 2018. DOI: 10.5216/mh.v17i2.47952. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/47952. Acesso em: 20 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos