Técnicas estendidas do contrabaixo em arranjos crossover

Autores

  • Fausto Borém
  • João Paulo Campos

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v16i2.45247

Resumo

Este estudo busca integrar as músicas erudita e popular por meio da utilização de técnicas estendidas eruditas do contrabaixo acústico em arranjos crossover de canções referenciais da música popular brasileira. A partir da seleção de atmosferas emocionais contrastantes (RUSSELL, 1980) e com base na análise do binômio letra-música nas canções, os coautores do presente artigo criaram seis arranjos contendo diversas técnicas estendidas do contrabaixo (ROBERT, 1995; TURETZKY, 1989, 1974; ROSA, 2014). A elaboração de MaPAs (Mapas de Performance Audiovisual) e EdiPAS (Edições de Performance Audiovisual; BORÉM, 2014, 2016) para os arranjos visam, não apenas descrever com maior precisão a utilização/realização destas técnicas não tradicionais entre compositores/performers do meio erudito, mas também seu ensino, especialmente no meio popular, onde estas técnicas são muito pouco conhecidas. Palavras-chave: Técnicas estendidas eruditas do contrabaixo acústico; Arranjos crossover de canções brasileiras; Relação texto-música; Música popular e música erudita; Contrabaixo avant-garde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-02-13

Como Citar

BORÉM, F.; CAMPOS, J. P. Técnicas estendidas do contrabaixo em arranjos crossover. Música Hodie, Goiânia, v. 16, n. 2, 2017. DOI: 10.5216/mh.v16i2.45247. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/45247. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos