A QUESTÃO DA AMBIGÜIDADE NA CRIAÇÃO DO SUJEITO EM L’INCORONAZIONE DI POPPEA DE CLAUDIO MONTEVERDI

Autores

  • Silvana Scarinci

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v4i2.3936

Resumo

Este ensaio pretende discutir a última e mais polêmica ópera de Claudio Monteverdi. Na discussão, pretendo demonstrar que Monteverdi preocupou-se muito pouco com as possíveis conotações filosóficas ou políticas do libreto de Busenello sobre o qual escreveu sua ópera, tendo percebido, outrossim, o enorme potencial do texto para a aplicação de seu então virtuosismo composicional aliado à sua sofisticada percepção da psicologia humana.Com Poppea, Monteverdi, atinge o clímax do que perseguia desde o período próximo à criação de L’Orfeo e Arianna: a perfeita imitazione em música da subjetividade.
Palavras-chave: Monteverdi – Poppea – subjetividade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-05-18

Como Citar

SCARINCI, S. A QUESTÃO DA AMBIGÜIDADE NA CRIAÇÃO DO SUJEITO EM L’INCORONAZIONE DI POPPEA DE CLAUDIO MONTEVERDI. Música Hodie, Goiânia, v. 4, n. 2, 2008. DOI: 10.5216/mh.v4i2.3936. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/3936. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos