A Notação Original da Música Polifônica Renascentista e suas Relações com as Práticas Interpretativas Atuais

Autores

  • Munir Machado de Sousa Sabag
  • Susana Cecilia Igayara

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v13i2.27995

Resumo

A música vocal do Renascimento foi escrita em notação mensural branca, um sistema que difere da notação moderna em diversos aspectos, particularmente no que diz respeito às relações entre os valores das figuras musicais. Neste trabalho, apresentamos alguns exemplos escritos em notação mensural com o objetivo de observar a estrutura deste sistema e examinar as limitações dos processos de transcrição para a notação atual. Devido à escassez de bibliografia em português sobre o assunto, apresentamos uma exposição teórica onde relacionamos informações de tratados do século XVI com a literatura musicológica mais recente, abordando tópicos como andamento, fraseado, acentuação e mudanças métricas. Finalmente, diante da recente possibilidade de se obterem documentos originais através da internet, advogamos que o contato dos intérpretes com as fontes primárias da Renascença pode revelar uma frutífera conexão entre musicologia e performance. Palavras-chave: Notação musical; Transcrição musical; Notação mensural branca; Polifonia renascentista; Teoria musical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-01-21

Como Citar

MACHADO DE SOUSA SABAG, M.; CECILIA IGAYARA, S. A Notação Original da Música Polifônica Renascentista e suas Relações com as Práticas Interpretativas Atuais. Música Hodie, Goiânia, v. 13, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/mh.v13i2.27995. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/27995. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos