Técnicas Estendidas e Música Contemporânea no Ensino de Instrumento para Crianças Iniciantes

Autores

  • Valentina Daldegan e Maurício Dottori

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v11i2.21815

Resumo

No início do aprendizado, os alunos produzem sons que não fazem parte da sonoridade tradicional de seu instrumento. Alunos adiantados têm maior dificuldade em começar a produzir sons “estendidos” do que os iniciantes, que muitas vezes conseguem fazê-lo brincando, literalmente. Como, a princípio, as crianças geralmente são abertas a músicas que envolvam sonoridades diferentes e acham divertido explorar novas possibilidades sonoras, o incentivo e o trabalho com estas técnicas desde o início pode ser de grande valia para o seu desenvolvimento. Um dos problemas na exploração do repertório contemporânea que inclua novos sons com iniciantes na flauta transversal é que este é em geral muito difícil tecnicamente. Neste artigo apresenta-se uma sugestão de metodologia, baseada em Daldegan (2009), para criação de repertório de música contemporânea, que inclua técnicas estendidas a serem aprendidas, apropriado ao nível de habilidade dos instrumentistas recém iniciantes. Palavras-chave: Composição de música contemporânea; crianças iniciantes; técnicas estendidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-22

Como Citar

DALDEGAN E MAURÍCIO DOTTORI, V. Técnicas Estendidas e Música Contemporânea no Ensino de Instrumento para Crianças Iniciantes. Música Hodie, Goiânia, v. 11, n. 2, 2012. DOI: 10.5216/mh.v11i2.21815. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/21815. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos