A Prática Musical na Inicialização e as Queixas Musculoesqueléticas

Autores

  • FaustO Kothe, Clarissa Stefani Teixeira, Érico Felden Pereira, Rosane Cardoso de Araújo e Eugenio

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v11i1.21727

Resumo

Este estudo objetivou identificar e relacionar os indicadores de dor/desconforto musculoesquelético percebidos por alunos de violino nas diferentes regiões corporais com a idade, gênero, tempo e frequência dedicada aos estudos com o instrumento musical. Foram avaliados 29 indivíduos com idades entre sete e 16 anos que praticavam violino como atividade extracurricular na escola. As queixas musculoesqueléticas foram relatadas por 89,66% dos alunos avaliados. Desses, 38,46% indicaram a região do pescoço como sendo dolorosa e/ou desconfortável com as práticas instrumentais; 30,77% a região posterior do ombro esquerdo e 30,77% a região do bíceps esquerdo. Foram encontradas influências do gênero (feminino), tempo de estudo diário (cinco a 15 minutos) frequência semanal de estudo (cinco a seis vezes na semana), estando à região anterior do braço, posterior do ombro e medial das costas, respectivamente mais acometidas. Palavras-chave: Prática instrumental; Dor; Desconforto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-19

Como Citar

KOTHE, CLARISSA STEFANI TEIXEIRA, ÉRICO FELDEN PEREIRA, ROSANE CARDOSO DE ARAÚJO E EUGENIO, F. A Prática Musical na Inicialização e as Queixas Musculoesqueléticas. Música Hodie, Goiânia, v. 11, n. 1, 2012. DOI: 10.5216/mh.v11i1.21727. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/21727. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos