A “COMUNICABILIDADE” DE MÚSICA (1944) PARA FLAUTA E PIANO DE CÉSAR GUERRA PEIXE

Autores

  • Fábio Henrique Viana

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v6i2.1584

Resumo

Este trabalho analisa Música (1944), para flauta e piano, de César Guerra Peixe, buscando identificar elementos de “comunicabilidade”, termo definido a partir das idéias expressas pelo compositor em seu Memorial. A peça é estruturada, principalmente, pela repetição de motivos e de “argumentos” e pelo dualismo repouso/tensão, sendo esses recursos tratados de maneira análoga ao seu uso no idioma tonal. A dimensão das seções e partes e a localização dos pontos culminantes seguem, aproximativamente, a proporção áurea. O ritmo recebe um tratamento “pontilhista”. A série dodecafônica é tratada de modo pouco ortodoxo e alguns conjuntos de classes de notas são recorrentes. A “comunicabilidade” é favorecida pelo uso análogo ao idioma tonal dos recursos estruturais da composição. Palavras-chave: Guerra Peixe; Atonalismo; Dodecafonismo; Música de câmara brasileira; Flauta e piano; Análise musical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-11-07

Como Citar

VIANA, F. H. A “COMUNICABILIDADE” DE MÚSICA (1944) PARA FLAUTA E PIANO DE CÉSAR GUERRA PEIXE. Música Hodie, Goiânia, v. 6, n. 2, p. 95–118, 2007. DOI: 10.5216/mh.v6i2.1584. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/1584. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos