CIVILIZAÇÃO E DESTRUTIVIDADE: UMA LEITURA DOS TEXTOS CULTURAIS DE FREUD

Autores

  • José Oto Konzen

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v34i2.8500

Resumo

O trabalho investiga a natureza da hostilidade dos indivíduos contra a civilização, tomando por base as interpretações de Freud presentes em textos específicos de sua investigação conhecidos, em geral, por textos culturais. Particularmente, Reflexões para tempos de guerra e morte, de 1915, Psicologia de grupo e análise do ego, de 1921, O futuro de uma ilusão, de 1927, e Mal-estar na civilização, de 1929. A tese central é que essa hostilidade está associada ao caráter repressivo da civilização, que tem por base a idealização cultural, sobre a qual repousa o descompasso existente entre o desenvolvimento técnico e humano e entre o desenvolvimento social e o individual, que demarcam a civilização analisada pelo autor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-21

Como Citar

KONZEN, J. O. CIVILIZAÇÃO E DESTRUTIVIDADE: UMA LEITURA DOS TEXTOS CULTURAIS DE FREUD. Revista Inter-Ação, Goiânia, v. 34, n. 2, p. 333–358, 2009. DOI: 10.5216/ia.v34i2.8500. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/8500. Acesso em: 17 abr. 2024.