MULHERES NEGRAS NO ENSINO SUPERIOR: RESSONÂNCIAS E(M) ESCREVIVÊNCIAS

Autores

  • Camila Santos Pereira Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, fycamila@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-6149-0520
  • Anamaria Ladeira Pereira Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, anamariatudojunto@gmail.com https://orcid.org/0000-0003-1459-3508
  • Fernando Pocahy Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, fernando.pocahy@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-7884-4647

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v46i3.67872

Resumo

Visando analisar o cenário atual das mulheres negras no meio universitário, buscamos, através da revisão bibliográfica, estudos que mapeiam as configurações contemporâneas dessas trajetórias. Assim, alguns aspectos da situação socioeconômica da população negra brasileira, sobretudo, feminina, passam por uma pontual articulação entre diálogos teóricos e dados estatísticos. Nas escrevivências de intelectuais como Lélia Gonzalez, bell hooks e Grada Kilomba, identificamos as barreiras impostas pelo racismo para se alcançar o ingresso, a permanência e o desenvolvimento de carreiras acadêmicas alheias ao eurocentrismo. Concluímos que a existência de mulheres negras professoras e pesquisadoras, nesses espaços, mostra-se como uma forma de resistência e combate à supremacia branca, que insiste em monopolizar os territórios científicos e diversas outras esferas sociais.

 PALAVRAS-CHAVE: Mulheres Negras. Universidade. Ações Afirmativas. Racismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Santos Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, fycamila@gmail.com

Bolsista do Mestrado Nota 10 – FAPERJ. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPEd/UERJ). Especialista em Orientação Educacional (UNIASSELVI). Licenciada em Ciências Sociais (UFRGS). Integrante do geni - estudos de gênero e sexualidade e do GEETRANS - Grupo de Estudos em Educação e Transgressão.

Anamaria Ladeira Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, anamariatudojunto@gmail.com

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPEd/UERJ). Integrante do geni - estudos de gênero e sexualidade e no Núcleo de Pesquisa e Desconstrução de Gêneros (DEGENERA), ambos na UERJ. Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Master em Educação de pessoas adultas pela Universitat Autònoma de Barcelona (UAB).

Fernando Pocahy, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, fernando.pocahy@gmail.com

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação (ProPEd) e do Programa de Pós-graduação em Psicologia Social (PPGPS), vinculados ao Centro de Humanidades da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2, Jovem Cientista do Nosso Estado (FAPERJ) e Procientista (UERJ-FAPERJ). Líder do geni - estudos de gênero e sexualidade.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

PEREIRA, C. S.; PEREIRA, A. L.; POCAHY, F. MULHERES NEGRAS NO ENSINO SUPERIOR: RESSONÂNCIAS E(M) ESCREVIVÊNCIAS. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 46, n. 3, p. 1360–1377, 2021. DOI: 10.5216/ia.v46i3.67872. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/67872. Acesso em: 19 maio. 2022.