EM TEMPOS DE REDES E UBIQUIDADE: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v46i3.64799

Resumo

Abordamos a presença dos dispositivos digitais móveis no cotidiano escolar, tendo como problemática discutir perspectivas educativas baseadas na cultura digital e no protagonismo de seus praticantes. Objetivamos apontar elementos que colaborem para práticas educativas significativas à juventude e aos desafios contemporâneos. O estudo teve como base a pesquisa qualitativa, amparado na teoria dos cotidianos e cultura digital. Como resultados, temos: a falta de incentivo ao desenvolvimento da cultura digital nas escolas, que inibe a produção de conhecimentos, ao mesmo tempo que percebemos táticas de professores e alunos para utilizar os meios digitais. O potencial dessas tecnologias reside na criação de ambiências formativas pautadas por relações educativas mais horizontais e colaborativas.

PALAVRAS-CHAVE: Tecnologias Digitais. Mobilidade. Cotidianos Escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Salete de Fátima Noro Cordeiro, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, snoro2@gmail.com

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria (1998), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2002) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2014). Pós-Doutorado (2020) Università Degli Studi Della Tuscia- Unitus- Itália. Atualmente é professora adjunto 4 da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia.

Maria Helena Silveira Bonilla, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, bonillab@gmail.com

Mestre em Educação nas Ciências pela Unijuí; Doutora em Educação pela UFBA; Professora titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia; Líder do grupo de pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologias - GEC/UFBA.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

CORDEIRO, S. de F. N.; BONILLA, M. H. S. EM TEMPOS DE REDES E UBIQUIDADE: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 46, n. 3, p. 1605–1619, 2021. DOI: 10.5216/ia.v46i3.64799. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/64799. Acesso em: 19 maio. 2022.