Análise da competência em informação do movimento ElesPorElas/HeForShe da UFPB

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v26.69319

Palavras-chave:

Competência em Informação, Universidades, Movimento HeForShe, ONU Mulheres, Redes Sociais

Resumo

O movimento ElesPorElas (HeForShe), desenvolvido pela ONU Mulheres, busca promover a igualdade de gênero e o empoderamento feminino, através do fortalecimento e ampliação de esforços em defesa dos direitos humanos das mulheres. A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) aderiu a esse movimento, sendo preciso o desenvolvimento de atividades que auxiliem na consecução do objetivo do ElesPorElas. Corroborando com o movimento as redes sociais constitui um importante meio de disseminação possibilitando que determinada informação chegue a um maior número de pessoas. Para que estes mecanismos sejam efetivos deve haver competência para usufruir dos benefícios que a rede disponibiliza. Por isso, busca-se analisar a competência em informação do movimento, tendo como indicadores a inclusão digital, informacional e social, a partir de observação de campo e utilizando como instrumento de coleta de dados, a entrevista estruturada, realizada com responsáveis pelo gerenciamento das redes sociais. A pesquisa mostra as dificuldades apresentadas pelos docentes, possibilitando a ampliação da compreensão acerca do desenvolvimento de competência em informação em universidades públicas do Brasil. Conclui que a competência em informação dos representantes do movimento na UFPB, sobretudo em relação às mídias digitais, deve ser desenvolvida para atender aos objetivos do movimento, por meio da utilização de recursos tecnológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Raquel de Lemos Viana, Universidade Federal do Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco, Brasil, annaraquellemoss@gmail.com

Doutoranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco (PPGCI/UFPE). Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI/UFPB), Especialista em Ciência de Dados e Big Data Analytics pela Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo (FAMEESP). Graduada em Relações Públicas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Bolsista CAPES. Membro do grupo de pesquisa Estudos Epistemológicos em Informação EEI- Atualmente tem interesse de pesquisa nos seguintes temas: Empoderamento feminino, Igualdade de gênero, Memória e identidade, Redes sociais, Competência Crítica em informação, Desinformação e Humanidades Digitais.

Shaennya Pereira Vanderley, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, shaennyapdrive@gmail.com

Doutoranda e Mestra em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (PPGCI/UFPB). Pós-graduanda em Direito Processual Penal pela Damásio Educacional. Especialista em Direito Civil e Direito Processual Civil pelo Centro Universitário de Patos (UNIFIP). Graduada em Direito pelo Centro de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade Federal de Campina Grande (CCJS/UFCG). Advogada inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PB 26.750). É membro do Grupo de Pesquisa Informação, Aprendizagem e Conhecimento (GIACO). Possui interesse pelos seguintes eixos temáticos: Combate e enfrentamento à violência doméstica, Redes sociais, Redes sociais digitais e crimes cibernéticos, Precedentes judiciais e Execução civil.

Aurora Cuevas Cerveró, Universidad Complutense de Madrid (UCM), Madri, Espanha, auro.cuevas@gmail.com

Doutorado em Documentação (prêmio extraordinário) - Universidade Carlos III de Madrid, 2005 e Pós-doutorado na Universidade de Brasília (2008 y 2018). Graduação em Filosofia e Ciências da Educação ? Universidad Complutense de Madrid, 1987. Atualmente é professora titular na Universidad Complutense de Madrid, Facultad de Ciencias de la Documentación, Departamento Biblioteconomia e Documentação. Tem ampla experiência docente e pesquisadora nacional e internacional na área de Ciência da Informação e Documentação com ênfase em alfabetização informaçional, atuando principalmente nos seguintes temas: competências em informação, inclusão social, cooperação para o desenvolvimento, bibliotecas educativas, leitura y memórial. Tem promovido e coordenado o Seminário Hispano Brasileiro de Pesquisa em Informação, Documentação e Sociedade realizado anualmente no Brasil e na Espanha desde o ano de 2010.

Alzira Karla Araújo da Silva, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, alzirakarlaufpb@gmail.com

Professora do nível associada do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba, na linha de pesquisa Ética, Gestão e Políticas de Informação. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestra em Ciência da Informação e graduada em Biblioteconomia, ambos pela Universidade Federal da Paraíba. Líder do grupo de pesquisa Informação, Aprendizagem e Conhecimento e pesquisadora na linha de pesquisa Gestão da Informação e do Conhecimento. Vice-chefe do Departamento de Ciência da Informação da UFPB (2021-2023). Coordenadora dos Projetos de Extensão "Descomplica TCC" e "Descomplica Ensino Médio"; do Projeto de Iniciação Científica "Elaboração de Trabalhos de Conclusão de Curso: desafios e estratégias de orientadores e discentes concluintes de cursos do Centro de Ciências Sociais Aplicadas" e; do projeto de ensino "Metodologia do Trabalho Científico: teoria e prática e uso de metodologias ativas no processo de ensino e aprendizagem". Atua nos seguintes eixos temáticos: gestão da informação e do conhecimento, marketing em unidades de informação, aprendizagem organizacional, redes sociais, redes de colaboração e aprendizagem, metodologia científica e normalização.

Izabel França de Lima, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, belbib@gmail.com

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais(2012), mestre em Educação (2007) especialista em Gestão de Unidades de Informação (2006), graduada em Biblioteconomia (1989) e em Administração (1999) pela Universidade Federal da Paraíba. Atualmente é professora do Departamento de Ciência da Informação, do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, líder do grupo de Pesquisa inclusoS da Universidade Federal da Paraíba. Editora do Periódico Científico Informação Sociedade: Estudos (ISSN: 1809-4783) vinculado ao PPGCI/UFPB. É a Coordenadora do GT 12 - Informação, Estudos Étnico-Raciais, Gênero e Diversidades da Associação de Pesquisa e Pós-graduação em Ciência da Informação (ANCIB). Área de pesquisa Ciência da Informação, com ênfase em Informação e tecnologia, atuando nos seguintes temas: Memória Institucional, Memória e Identidade, Repositórios institucionais, acesso e uso de informação, acessibilidade, usabilidade, inclusão digital/social/racial, informação etnicorracial, Justiça Social, Informacional, Racial e de Gênero, Religiões de matriz africana; sincretismo religioso e Intolerância Religiosa.

Referências

ALMEIDA, N. B. F.; BAPTISTA, S. G. Profissional da informação: imagem, perfil e a necessidade da educação continuada. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, v. 2, n. 2, p. 1-14, 2009. DOI: 10.26512/rici.v2.n2.2009.1434 Acesso em: 20 mar. 2020.

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION. Presidential committee on information literacy, 1998. Disponível em: http://www. ala. org/ala/acrl/acrlpubs/whitepapers/presidential. cfm. Acesso em: 16 mar. 2023.

BASTOS, A.V. B. et al. Réplica 1. Formas docentes: em que medida a Pós-Graduação cumpre esta missão. RAC, Curitiba, v. 15, n. 6, p. 1152-1160, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552011000600011&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 16 mar. 2020.

CAMPELLO, B. A competência informacional na educação para o século XXI. In: Biblioteca Escolar: temas para uma prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, p. 9-11, 2002.

CAMPELLO, B. S. Letramento informacional: práticas educativas de bibliotecários em escolas de ensino básico. 2009. 203 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

CAVALCANTE, L. E. Políticas de formação para a competência informacional: o papel das universidades. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 47-62, 2006.

CUEVAS-CERVERÓ, A.; SIMEÃO, E. (Orgs.). Alfabetización informacional e inclusión digital: hacia un modelo de infoinclusión social. Gijón: TREA, 2011.

COMSCORE, I. It’sa social world: Top 10 need-to-knows about social networking and where it’s headed, 2011.

CORRÊA, E. C. D.; CASTRO JÚNIOR, O. V. Perspectivas sobre competência em informação: diálogos possíveis. Ciência da Informação, v. 47, 2018 .Recuperado de: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/99207. Acesso em: 19 mar. 2020

DUARTE, S. G. Dicionário brasileiro de educação. Rio de Janeiro: Antares, 1986.

DUDZIAK, E. A. A Information Literacy e o papel educacional das bibliotecas. 2001. 173 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação). Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

DUDZIAK, E. A. Os faróis da sociedade de informação: uma análise crítica sobre a situação da competência em informação no Brasil. Informação & Sociedade. João Pessoa, v.18, n. 2, p. 41-53, 2008.

DUDZIAK, E. A.; FERREIRA, S. M. S. P.; FERRARI, A. C. Competência Informacional e Midiática: uma revisão dos principais marcos políticos expressos por declarações e documentos. RBBD. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 13, p. 213-253, 2017.

FREITAS, M. T. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista, v. 26, n. 3, p. 335-352, 2010.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópico na indústria brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.

GABRIEL, M. Marketing na Era Digital: conceitos, plataformas e estratégias. São Paulo: Novatec, p. 194, 2010.

GOEZ, W. L. C.; ARAÚJO, E. A. Competência informacional na sociedade da informação: perspectivas e análise bibliométrica de modelos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 14, n. 1, p. 109-125, 2018. Recuperado de: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/3771. Acesso em: 18 mar. 2020.

GRANATO, M. S. et al. As competências comunicacionais e os profissionais da comunicação. Comunicação & Informação, v. 22, 2019.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTITUTIONS. Faróis da sociedade de informação: Declaração de Alexandria sobre competência informacional e aprendizado ao longo da vida. Versão em português do documento Beacons of the Information Society, Alexandria: IFLA Publicações, 2005. Recuperado de: http://archive.ifla.org/III/wsis/BeaconInfSoc-pt.html. Acesso em: 12 jun. 2019

KOTLER, P. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5.ed. São Paulo, SP: Atlas, 1998. 725p.

LEE, A. Y.; SO, C. Y. Media Literacy and Information Literacy: Similarities and Differences. Comunicar: Media Education Research Journal, v. 21, n. 42, p.137-145, 2014.

LUCAS, C. R. As tecnologias da informação e a exclusão digital. Transinformação, v. 14, n. 2, p. 159-165, 2002. DOI: 10.1590/S0103-37862002000200005 Acesso em: 18 mar. 2020.

MENESES. P. G. Aproximaciones teóricas a la evaluación de la alfabetización informacional en la educación superior. Acimed, v. 18, n. 1, 2008.

NAÇÕES UNIDAS. ONU Mulheres. [s.d.]. Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/elesporelas/. Acesso em. 19 mar. 2023.

ORELO, E. R. M.; VITORINO, E. V. Competência informacional: um olhar para a dimensão estética. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 17, n. 4, p. 41-56, 2012 . Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/36802. Acesso em: 19 mar. 2020.

PERES, M. R. Competência informacional: educação e sociedade. RICI, v. 3, n. 1, p. 22-33, 2011. Recuperado de: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/12866/1/ARTIGO_CompetenciaInformacionalEducacao.pdf. Acesso em: 16 jun. 2019.

SAKAMOTO, L. Em São Paulo, o Twitter e o Facebook foram às ruas. In: MARICATO, E. et al. Cidades rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo/Carta Maior., p. 95-100, 2013.

STATISTA. Most popular social networks worldwide as of January 2019, ranked by number of active users (in millions). 2019. Disponível em: https://www.statista.com/statistics/272014/global-social-networks-ranked-by-number-of-users/ Acesso em: 18 mar. 2023.

Downloads

Publicado

2023-08-25

Como Citar

VIANA, A. R. de L.; PEREIRA VANDERLEY, S.; CERVERÓ, A. C.; ARAÚJO DA SILVA, A. K.; FRANÇA DE LIMA, I. Análise da competência em informação do movimento ElesPorElas/HeForShe da UFPB. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 26, p. 213–237, 2023. DOI: 10.5216/ci.v26.69319. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/69319. Acesso em: 18 jul. 2024.